A Sacerdotisa de Avalon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde agosto de 2009).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
A Sacerdotisa de Avalon
Priestess of Avalon
A Sacerdotisa de Avalon
Autor (es) Marion Zimmer Bradley (completado por Diana L. Paxson)
Idioma Inglês
País Estados Unidos
Género Fantasia, Novela histórica
Série Série Avalon
Editora Voyager Books
Lançamento 6 de novembro de 2000
Páginas 382 p.
ISBN 0-00-224709-7
Cronologia
Último
Último
A Dama de Avalon
As Brumas de Avalon
Próximo
Próximo

A Sacerdotisa de Avalon é um romance de 2000 por Marion Zimmer Bradley e concluída postumamente por Diana L. Paxson. A obra detalha a vida de Helena, primeira esposa do Imperador Romano do Ocidente Constâncio Cloro e mãe de Constantino.

Esta série foi iniciada e se tornou proeminente a partir dos títulos publicados em nome de Bradley, no entanto a série está agora a ser continuado por Diana L. Paxson.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Narra a história de Eilan, mais tarde conhecida como Helena, a mãe do imperador Constantino.

Eilan é filha de uma suma sacerdotisa de Avalon com um prícipe romano, passa os primeiros anos de sua vida sendo criada pelo pai, pois sua mãe morreu em Avalon após seu nascimento. Mais tarde ela mandada novamente para Avalon para conhecer os mistérios de uma sacerdotisa.

Num Festival Beltane ela ludibria a suma sacerdotisa, sua tia, e passa a noite com um militar romano, Constantius. Ela é expulsa de Avalon, e então sua vida no Império Romano tem início.

Tem seu filho, Constantino, após um parto que quase lhe arranca a vida. Esse filho que dará muita glória, mas também muita dor.

A parte romana que o livro narra é real. É a história de Santa Helena (território). A que encontrou o Santo Sepulcro. É a história do Imperador Constantino, um dos alicérces da Igreja Católica, hoje.

Ver também[editar | editar código-fonte]