Aprendizagem para o domínio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde abril de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

A aprendizagem para o domínio (tradução para o português[1] de mastery learning) significa estudar uma matéria até dominá-la, não até a data da prova [2] , porque o objetivo é a aprendizagem, não apenas a aprovação. A própria prova, por sua vez, não é um método de seleção e exclusão, e sim uma ferramenta de identificação dos pontos fracos para que as lacunas porventura existentes sejam preenchidas [3] . É um ramo da psicologia da educação que presume que toda pessoa é capaz de atingir o domínio completo de um determinado assunto se lhe forem fornecidas as condições de aprendizagem apropriadas. O princípio reside no respeito aos ritmos individuais de cada um, através do qual todos poderiam atingir o mesmo nível de compreensão, mesmo que em tempos diferentes. Os primeiros conceitos foram desenvolvidos por Carleton Washburne através do Plano Winnetka, sendo o termo mastery learning cunhado por Benjamin Bloom em 1971.


Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • KHAN, Salman. Um mundo, uma escola - a educação reinventada [Traduzido por George Schlesinger de: The One World Schoolhouse]. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2013.

Referências

  1. KHAN, Salman. Um mundo, uma escola - a educação reinventada [Traduzido por George Schlesinger de: The One World Schoolhouse]. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2013.
  2. Educação na Era Digital (Dossiê Especial). Scientific American Brasil, n° 136, ano 11, pg. 49, Setembro, 2013.
  3. Khan, Salman. Um mundo, uma escola - a educação reinventada. 1. ed. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2013.