Balanço de massa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Um balanço de massa (também chamado um balanço material) é uma aplicação do princípio da conservação da massa para a análise de sistemas físicos. Pela contabilidade (medição) de material entrando e deixando um sistema, fluxos de massa podem ser identificados, os quais podem ser desconhecidos, ou difíceis de serem conhecidos sem esta técnica. A exata lei de conservação usada na análise do sistema depende do contexto do problema mas tudo é resolvido pela conservação da massa, i.e. que matéria não pode desaparecer ou ser criada espontaneamente.

Portanto, balanços de massa são amplamente utilizados em engenharia e análises ambientais. Por exemplo, a teoria do balanço de massas é usado para o projeto de reatores químicos, na analise de processos alternativos para produzir produtos químicos, bem como em modelos de dispersão de poluição e outros modelos de sistemas físicos. Técnicas de análise intimamente relacionadas e complementares incluem o balanço de população, balanço de energia e um tanto mais complexo balanço de entropia. Estas técnicas são necessárias para o completo projeto e análise de sistemas tais como o ciclo de refrigeração.

Em monitoramento ambiental o termo cálculos de budget (aproximadamente levantamento) é usado para descrever as equações de balanço de massa, onde eles são utilizados para avaliar os dados de monitorização (comparando as entradas e saídas, etc). Em biologia, a teoria budget de energia dinâmica para a organização metabólica faz uso explícito dos balanços de tempo, de massa e energia.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • The Material Balance for Chemical Reactors - jbrwww.che.wisc.edu (em inglês)
  • PHILIP K. HOPKE; Chemical mass balance - www.wiley.com (em inglês)
  • R. B. Bird, W. E. Stewart, and E. N. Lightfoot. Transport Phenomena. John Wiley & Sons, New York, second edition, 2002.
  • M. Feinberg and P. Ellison. General kinetic bounds on productivity and selectivity in reactor-separator systems of arbitrary design: I. Principles. Ind. Eng. Chem. Res., 40(14):3181±3194, 2001.
  • O. A. Hougen and K. M. Watson. Chemical Process Principles. Part Three: Kinetics and Catalysis. John Wiley & Sons, New York, 1947.

Ver também[editar | editar código-fonte]