Cândido das Neves

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Cândido das Neves
Informação geral
Nome completo Cândido das Neves
Nascimento 24 de julho de 1899
Local de nascimento Rio de Janeiro, RJ
País  Brasil
Data de morte 4 de novembro de 1934 (35 anos)
Local de morte Rio de Janeiro, RJ
Ocupação(ões) Compositor e violonista

Cândido das Neves (24 de julho de 18994 de novembro de 1934) foi um violonista e compositor brasileiro. Foi um dos quatro filhos de Eduardo das Neves, também conhecido como Nêgo Dudu, um dos primeiros cantores a gravar discos no Brasil.[1] Conforme consta do livro de Ary Vasconcelos, Panorama da Música Popular Brasileira, Edição Martins, páginas 6/7: ".........Cândido, que tinha o apelido de Índio entrou, em 1922, para a Estrada de Ferro Central do Brasil como praticante de agente. Já então compunha. Desde o ano anterior era mestre de harmonia do rancho `O Prazer das MOrenas`conquistando, para sua agremiação, o primeiro lugar no carnaval. Nunca, porém quis saber de rádio, fosse para cantar ou apenas para tocar violão. Mas suas composições emocionaram o Brasil inteiro na voz de Vicente Celestino, Orlando Silva, etc. Na EFCB chegou a agente ferroviário. Casado com d. Débora de Siqueira....Faleceu a 14 de novembro de 1934... deixava....dezenas de composições, entre as mais belas que se escreverm no Brasil: "Cinzas", "Para sempre adeus", "Noite cheia de estrelas","Jura de Cabocla", "Última estrofe", "E Nada Mais", "Lágrimas", "Cabocla serrana", "Nênias", "Íntima Lágrima", "Tudo acabado", "Luar da minha terra", "Funerais do amor", "Raguei o teu retrato", "Cabocla Tereza","Primavera", Noite de S. Pedro", "Em delírio", "Rancho abandonado". Deixou duas canções inéditas: "Pecado" e "Lamento". Era charadista nas horas vagas... A primeira valsa que escreveu, em 1920, na qual comparava os olhos da amada a dois pedações de céu, foi muito criticada pois, segundo seus detratores, o céu seria indivisível... Uma de suas primeira composições foi a marcha carnavalesca "Mulata"......."(VASCONCELOS, Ary.Panorama da Musica Popular Brasileira. 2. volume.Livraria Martins Editora: São Paulo, 1964.)





Entre suas principais composições estão "Noite cheia de estrelas" (1931), "Entre lágrimas" (1932), "E nada mais!..." e "Rasquei o teu retrato" (1935) gravadas por Vicente Celestino, além de "Página de dor" (1938) gravada por Orlando Silva.[1]

Em 2013, sua composição "Perdi o Meu Pandeiro", até então inédita em disco, foi gravada pelo cantor Luiz Henrique em seu Cd Pro Samba Que Noel Me Convidou, com canções de Noel Rosa e seus contemporâneos. A canção foi campeã de um concurso de sambas organizado pela Revista O Malho, em 1934.[1]

Notas e Referências

  1. a b c Biografia no Cravo Albin dicionariompb.com.br. Visitado em 21/12/2013.
Ícone de esboço Este artigo sobre um compositor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.