Cancioneiro de Uppsala

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Capa do Cancioneiro de Uppsala

Cancineiro de Uppsala é o nome pelo qual ficou conhecido o único exemplar remanescente da compilação de músicas espanholas renascentistas intitulada Villancicos de diversos autores, a dos, y a tres, y a quatro, y a cinco bozes, agora nuevamente corregidos. Ay mas ocho tonos de Canto llano, y ocho tonos de Canto de Organo para que puedam aprovechar los que a cantar començaren, editada em Veneza em 1556 por Jerônimo Scotto.

A compilação foi realizada em Valência para Ferdinando de Aragão, Duque da Calábria. Recebeu seu nome atual por se encontrar depositada na Biblioteca da Universidade de Uppsala, na Suécia, onde foi redescoberta por Rafael Mitjana em 1907.

O livro contém 70 peças musicais, todas anônimas salvo uma, que traz a autoria explícita de Nicolas Gombert, mas pesquisas posteriores e comparações com fontes alternativas atribuíram algumas obras a compositores conhecidos, como Juan Vázquez, Juan del Encina, Bartomeu Cárceres, Mateo Flecha, Cristóbal de Morales e Juan Aldomar.

Para ouvir[editar | editar código-fonte]

Juan del Encina - Mas vale trocar

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Maricarmen Gómez. El Cancionero de Uppsala. In Goldberg, El Portal de la Música Antigua[1]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]