Chega Mais

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Chega Mais
Informação geral
Formato Telenovela
Duração 50 aprox.
Criador(es) Carlos Eduardo Novaes[1] [2]
País de origem  Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Roberto Vignati[1] [2]
Reynaldo Boury[1] [2]
Walter Campos[1] [2]
Gonzaga Blota[1] [2]
Produtor(es) Walther Negrão[1] [2]
Elenco Tony Ramos
Sônia Braga
Renata Sorrah
Osmar Prado
Rosamaria Murtinho
Roberto Bonfim
Cláudio Corrêa e Castro
Jandira Martini
Ruy Rezende
Renata Fronzi
Gilberto Martinho
(ver mais)
Tema de abertura "Chega Mais" de Rita Lee[1] [3]
Exibição
Emissora de
televisão original
Brasil Rede Globo[1]
Transmissão original 3 de março de 1980 - 5 de setembro de 1980[1] [2]
Nº de episódios 158[1] [2]
Cronologia
Último
Último
Marron Glacê
Plumas e Paetês
Próximo
Próximo

Chega Mais é uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida no horário das 19 horas entre 3 de março e 5 de setembro de 1980, em 158 capítulos, substituíndo Marron Glacê e sendo substituída por Plumas e Paetês[4] .

Foi escrita por Carlos Eduardo Novaes com roteiro de Walter Negrão e dirigida por Gonzaga Blota, Roberto Vignati, Walter Campos e Reynaldo Boury, [1] [2] .

Foi a 25ª novela das sete exibida na TV Globo.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Tom e Gelly vivem uma relação muito difícil. Ela se complica ainda mais quando Tom é sequestrado no dia do seu casamento com Gelly, deixando-a aflita no altar. Na verdade ele planejou o sequestro para a família de Gelly pagar o resgate. Mas o que Tom não sabia é que a família dela composta pelos pais Agda e Belmiro, o irmão Dadá, a tia Lili e a avó Cândida, vivem em uma constante crise financeira.

Gelly e Tom acabam se separando. Tom se envolve com a executiva Léa, uma mulher mais velha e rica. Gelly passa a ser assediada pelo seu ex-noivo, Guto, um jovem mimado que desperta o interesse de Wilma. Porém, a mãe de Gelly, Agda, tem mania de grandeza e torce para que sua filha se apaixone pelo diplomata norte-americano Paul Cleveland. Ela não sabe, entretanto, que Paul Cleveland é apenas uma invenção da cartomante Madame Zoraide e do seu filho Zico, que trabalha como camelô[1] .

Outra personagem importante na trama é Lúcia, uma psicóloga que sofre com o abandono do marido. Lúcia acaba conhecendo Amaro, um baiano que quer ser cantor e muda totalmente a sua vida. Entretando o detetive Hércules, grande amigo de Lúcia, é apaixonado por ela e pretende conquistá-la, o que magoa Adriana, uma advogada determinada que trabalha com Hércules e é completamente apaixonada por ele.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Rosi Campos interpretou Aline.
Renata Sorrah interpretou Lúcia.
Ator[5] Personagem[5]
Tony Ramos Tom
Sônia Braga Gelly
Renata Sorrah Lúcia
Osmar Prado Amaro / Ted Lover
Rosamaria Murtinho Léa
Roberto Bonfim Hércules
Jandira Martini Adriana
Cláudio Corrêa e Castro Belmiro
Renata Fronzi Agda
Ruy Rezende Zico / Paul Cleveland
Ney Santanna Guto
Ana Ariel Zoraide
Gilberto Martinho Seu Barata
Elza Gomes Tia Lili
Edgard Franco Pablo
Ruthinéa de Moraes Cacilda
Nádia Lippi Wilma
Reynaldo Gonzaga Roberto
Christiane Torloni Cristina
Daniel Dantas Dadá
Rosi Campos Aline
Antônio Pedro Tito
Heloísa Helena Carmem
Felipe Carone Dr. Gomes
Henriqueta Brieba Cândida
Ilka Soares Brigitte
José Augusto Branco Tomás
Estelita Bell Vitória
Paulo Gonçalves Souza
Thaís de Andrade Rosa
João Carlos Barroso Amadeu
Maria Cristina Nunes Norma
Fernando José Tubarão
Gilda Sarmento Izilda
Brandão Filho Jayme
Gracinda Freire Valda
Luiz Orioni Tião
Augusto Olímpio Romeu
Joséphine Hélene Bárbara
Sônia de Paula Jacira
Tião D'Ávila Oswaldo
Dulce Conforto Patrícia
Tony Vermont Cupim

Participações especiais[editar | editar código-fonte]

Ator Personagem
Alice Viveiros Edna (Ex-namorada de Amaro)
Armando Bógus Nestor (Garçom do buffet Marron Glacê)
Egon Júnior Andrezinho (Filho de Jonas e Lúcia)
Érika Kupper Myrian (Amiga de Norma e Patrícia)
Flávio Migliaccio Taxista
Gugu Olimecha Tarzã (Amigo de Tom)
José Mayer Repórter
Laerte Morrone Valdomiro (Máitre do buffet Marron Glacê)
Lima Duarte Oscar (Garçom do buffet Marron Glacê)
Maria Cristina Gatti Lourdes (Empregada de Lúcia)
Mário Gomes Eliézer (Garçom do buffet Marron Glacê)
Milton Gonçalves Padre Euzébio (Celebra o casamento de Tom e Gelly no 1º capítulo)
Ney Latorraca Jonas (Ex-marido de Lúcia)
Sílvia Salgado Virginia (Filha de Gomes)
Sulamith Yaari Fátima (Empregada de Hércules)
Terezinha Moreira Berta (Tia de Lúcia)
Yara Cortes Madame Clô (Dona do buffet e amiga de Agda)

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

Trilha sonora nacional[editar | editar código-fonte]

  1. Xô Gafanhoto - Beth Carvalho[3]
  2. Abri a Porta - A Cor do Som[3]
  3. Saindo de Mim - Simone[3]
  4. Menino Sem Juízo - Alcione[3]
  5. Agito e Uso - Frenéticas[3]
  6. Chega Mais - Rita Lee[3]
  7. Falando de Amor - Ney Matogrosso[3]
  8. Trilhos Urbanos - Caetano Veloso[3]
  9. Vazio - Roberto Ribeiro[3]
  10. Pode Guardar as Panelas - Paulinho da Viola[3]
  11. Solidão - Agepê[3]
  12. Homenagem Ao Malandro - Moreira da Silva[3]
  13. Linha de Passe - João Bosco[3]

Trilha sonora internacional[editar | editar código-fonte]

  1. You And I - Mireille Mathieu and Paul Anka[3]
  2. I Can't Help Myself - Bonnie Pointer[3]
  3. Feeling Old Feelings - Dionne Warwick[3]
  4. Three Times In Love - Tommy James[3]
  5. Emotions In My Heart - Chrystian[3]
  6. Got To Love Somebody - Sister Sledge[3]
  7. Clair de Femme - Jean Musy[3]
  8. I'd Rather Leave While I'm In Love - Rita Coolidge[3]
  9. Better Love Next Time - Dr. Hook[3]
  10. With You I'm Born Again - Billy Preston & Syreetta[3]
  11. A Walk In The Park - Nick Stranker Band[3]
  12. Gonna Get Along Without You Now - Viola Wills[3]
  13. Let Me Party With You - Bunny Sigler[3]
  14. You Set My Dreams To Music - John Travolta[3]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • Chega Mais reuniu mais de 40 personagens e todos eles tinham aspectos bons e maus. Esse foi o único trabalho do cronista e escritor Carlos Eduardo Novaes para a televisão. Ele usou um humor crítico em alguns trechos da trama, que foi considerada uma antinovela, já que fugia aos padrões das histórias mais leves apresentadas no horário das 19h[1] .
  • O título da novela seria Tom e Gelly, já que Carlos Eduardo Novaes se inspirou na história de Tom e Jerry para compôr o casal principal que viviam em uma briga de gato e rato até o fim da trama, e o tema de abertura seria a música Corre Corre do novo disco de Rita Lee. Em virtude dos altos custos de direitos do título, pertencentes a empresa Hanna-Barbera, o título mudou-se para Chega Mais que era o nome de uma outra música escolhida para o tema de abertura, retirada do mesmo disco de Rita Lee[4] .
  • A sinopse de Carlos Eduardo Novaes esclarecia: "Esta é uma história comum de dois jovens que se conhecem, apaixonam-se, mas não conseguem realizar essa paixão. Quando juntos, trapaceiros incorrigíveis, admitem que não podem continuar juntos. Quando separados, constatam que não podem viver separados."[4]
  • O cronista Novaes conseguiu, com certa artimanha, fazer uma novela de crônica. Chega Mais não foi um grande sucesso, mas em nenhum momento o elenco e a produção estiveram comprometidos[4] .
  • A abertura causou frisson e foi um grande sucesso. Nela, apareciam casais se aproximando de várias maneiras[4] . Foi criada por Hans Donner e Nilton Nunes.
  • O primeiro capítulo foi antológico: Gelly sendo abandonada no altar depois da constatação de que seu noivo Tom havia sido sequestrado[4] . Nesse mesmo casamento desastroso entre Tom e Gelly no primeiro capítulo, a novela contou com a participação de alguns personagens do buffet Marron Glacê, da novela exibida anteriormente no mesmo horário[1] .
  • Última novela de Sônia Braga, que ficaria 19 anos afastada. A atriz iria mudar-se aos EUA e se dedicar a carreira internacional. Ela voltaria em 1999 em Força de Um Desejo[4] [1] .
  • Destaque para Osmar Prado, numa sensível caracterização do músico baiano Amaro[4] .
  • Primeira novela da atriz Rosi Campos e do ator Daniel Dantas.
  • A direção da emissora sugeriu como primeira opção para o casal protagonista os nomes de Tony Ramos e Elizabeth Savalla. Após o estrondoso sucesso do casal em O Astro e em Pai Herói, a emissora contava com mais esse trunfo para o sucesso de Chega Mais. No entanto, a atriz ficou grávida logo após o término de Pai Herói, e só voltou às telinhas na novela substituta de Chega Mais, Plumas e Paetês.
  • Última novela do ator Luiz Orioni, que viria a falecer seis dias depois do término da trama.
  • Reprisada a partir de abril de 1983 no programa feminino TV Mulher às 10 horas da manhã[4] .`


Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m n o Globo, Memória. Chega Mais. Página visitada em 10 de fevereiro de 2012.
  2. a b c d e f g h i Chega Mais - Teledramaturgia. Teledramaturgia. Página visitada em 10 de fevereiro de 2012.
  3. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z aa ab Chega Mais - Trilha Sonora. Teledramaturgia. Página visitada em 10 de fevereiro de 2012.
  4. a b c d e f g h i Chega Mais - Bastidores. Teledramaturgia. Página visitada em 10 de fevereiro de 2012.
  5. a b Chega Mais - Elenco. Teledramaturgia. Página visitada em 10 de fevereiro de 2012.