Chepenuepet II

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Cabeça de estátua de Chepenuepet II no Museu de Alexandria. O resto do corpo encontra-se no Sydney Museum

Chepenuepet II ou Chepenupet II foi adoradora divina de Amon entre 710 e 650 a.C., tendo atravessado os reinados de Chabataka e Taharka.

Era filha do rei cuchita Pié, que tinha colocado a sua irmã Amenirdis I como adoradora divina de Amon em Tebas quando se transformou em senhor da região. Sucedeu à tia nas funções.

Em Medinet Habu mandou construir e decorar a capela funerária da sua antecessora. No mesmo complexo funerário se encontra a sua capela.

Surge nas representações artísticas como uma mulher com maças do rosto proeminentes e com ancas pronunciadas. Está representada como uma esfinge numa estátua que se encontra no Museu Egípcio de Berlim.

Durante o reinado de Taharka compartilhou o poder com o seu intendente Montuhemat, sacerdote de Amon colocado pelo soberano como responsável pela administração do Baixo Egipto.

Adoptou como sua sucessora a sua sobrinha, Amenirdis II, filha de Taharka, com a qual compartilhou a posição a partir de 670 a.C., embora Amenirdis II tenha vivido ofuscada pela sua "mãe". Com a ascensão da XXVI dinastia, a filha do rei Psametek I (ou Psamético I), Nitócris I tornou-se a nova adoradora divina de Amon.


Precedida por:
Amenirdis I
Adoradora divina de Amon
710 - 650 a.C.
Sucedida por:
Amenirdis II