Colégio de São Bento

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
CSB
Colégio de São Bento do Rio de Janeiro
Lema Ora et labora (traduzido do latim, significa "ore e trabalhe")
Tipo Ensino Privado
Fundação 1858 (156 anos)
Abertura 09 de fevereiro de 1858 (156 anos)
Localização Bandeira da cidade do Rio de Janeiro.svg Rio de Janeiro, Rio de Janeiro,  Brasil
Bairro Centro
Endereço Rua Dom Gerardo, 68
CEP 20090-030
Cursos oferecidos ensino fundamental, ensino médio
Orientação religiosa Católica Apostólica Romana
Patrono(a) São Bento
Mantenedor(a) Mosteiro de São Bento do Rio de Janeiro
Cores Azul, vermelho e amarelo
Página oficial http://csbrj.org.br
Classificação
no Enem (2010)[1]

(com 100% de participação)

Grupo 1: 75% ou mais de participação.
761,7 pontos
1º (Bandeira da cidade do Rio de Janeiro.svg Rio de Janeiro)
1º (Rio de Janeiro)
1º (Brasil)

O Colégio de São Bento do Rio de Janeiro é um estabelecimento de ensino confessional católico, exclusivamente para meninos, dirigido e mantido pelos monges beneditinos do Mosteiro de São Bento do Rio de Janeiro. É uma referência histórica da presença da Ordem de São Bento, no Brasil. Além disso, o colégio é famoso por ser a instituição mais vezes líder do Exame Nacional do Ensino Médio, o que lhe rendeu o título de "Melhor Colégio do Brasil". [2] [3] [4]

História[editar | editar código-fonte]

Parte superior do diploma conferido aos concluintes do ensino médio. Nele, pode-se ver o brasão alternativo do colégio.

O colégio foi formalmente constituído em 1858. A partir de 1904, passou a funcionar num prédio ao lado da Igreja de Nossa Senhora do Monte Serreado. Em 1929, transferiu-se para um prédio no número 42 da Rua Dom Gerardo (o mesmo endereço onde, atualmente, se localiza a Faculdade de São Bento do Rio de Janeiro).[5] Até 1960, todos os professores do colégio eram homens. A partir desse ano, o colégio passou a admitir professoras.[6] Em 1971, mudou-se para um prédio projetado pelo arquiteto e ex-aluno Mauro Guaranys, no lado do Morro de São Bento oposto ao mosteiro homônimo.

Exame Nacional do Ensino Médio[editar | editar código-fonte]

Nos anos de 2005, de 2007, de 2010[nota 1] , foi o primeiro colocado no ranking nacional do Exame Nacional do Ensino Médio e, nos anos de 2009 e de 2011, ficou em primeiro lugar no ranking estadual. Esses bons resultados renderam à instituição a reputação de melhor colégio brasileiro.[2] [3] [7] [4]

Brasão[editar | editar código-fonte]

O brasão do Colégio de São Bento do Rio de Janeiro deriva do brasão da Abadia. Ele apresenta dois elementos principais: o Monte Serrado, que faz alusão ao santuário catalão de Monserrate, onde se venera a Santíssima Virgem Mãe de Deus; o leão com o báculo, que simboliza as virtudes da coragem, da bravura e da magnanimidade, associadas na Idade Média à Ordem de São Bento. O báculo, ainda, faz referência ao poder abacial, com seu múnus pastoral.[8]

Condecorações[editar | editar código-fonte]

Insignia da Ordem do Mérito Judiciário do Distrito Federal e dos Territórios

O Colégio de São Bento foi condecorado no dia 29 de março de 2010 com a insígnia da Ordem do Mérito Judiciário do Distrito Federal e dos Territórios, a mais alta ordem honorífica do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios, por ter prestado relevantes serviços à cultura jurídica em geral, bem como ao Poder Judiciário do Distrito Federal e Territórios. Foi a primeira instituição educacional a receber tal prêmio.[9] [4]

Reitores (até 1903, diretores)[editar | editar código-fonte]

  • Abade Frei Luís da Conceição Saraiva (fundador), 1858 - 1860
  • Presidente Frei Antônio de Santa Águeda Carneiro, 1860
  • Abade Frei Saturnino de Santa Clara Antunes de Abreu, 1860 - 1863
  • Abade Frei José da Purificação Franco, 1863 - 1872
  • Abade Frei Manoel de São Caetano Pinto, 1872 - 1881
  • Abade Frei José da Purificação Franco, 1881 - 1884
  • Abade Frei Manoel de Santa Catarina Furtado, 1884 - 1893
  • Abade Frei João das Mercês Ramos, 1893 - 1903
  • Dom Marcos Stoker, 1903
  • Dom Pio Alpen, 1904 - 1905
  • Dom Amaro van Emelen, 1905 - 1906
  • Dom Ambrósio Winckier, 1907 - 1908
  • Abade Coadjutor Dom João Crisóstomo De Saegher, 1908
  • Dom Amaro van Emelen, 1909 - 1910
  • Dom Ildefonso Deigendesch, 1910
  • Dom João Evangelista Barbosa, 1911 - 1913
  • Dom Ildefonso Deigendesch, 1914 - 1915
  • Abade Dom Pedro Eggerath, 1915 - 1916
  • Dom Leandro Marques de Souza, 1917 - 1918
  • Dom Meinrado Mattmann, 1918 - 1936
  • Abade Dom Tomás Keller, 1936
  • Dom Vicente de Oliveira, 1936 - 1937
  • Dom Bonifácio Plum, 1937 - 1941
  • Dom Hildebrando Petrola Martins, 1942 - 1946
  • Dom Basílio Penido, 1947 - 1954
  • Dom Lourenço de Almeida Prado, 1955 - 2001
  • Dom Matias Fonseca de Medeiros, 2001 - 2003
  • Dom Tadeu de Albuquerque Lopes, 2003 - 2010
  • Dom Miguel da Silva Vieira, 2010 - hoje

Ex-alunos ilustres[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Os anos citados correspondem ao ano em que as provas foram feitas, e não ao ano em que o resultado foi divulgado.

Referências

  1. Notas Médias do ENEM 2010 dos alunos concluintes do Ensino Médio Regular por Escola. Inep (12 de setembro de 2011).
  2. a b Redação do Portal Terra. Colégio de São Bento é o melhor colocado do Enem 2009 no Rio. Página visitada em 16 de dezembro de 2012.
  3. a b Alba Valéria Mendonça. Colégio de São Bento, no Rio, volta ao topo do ranking do Enem no país. Página visitada em 16 de dezembro de 2012.
  4. a b c d e f g h i MC. Representantes do Colégio de São Bento do Rio de Janeiro visitam o TJDFT. Página visitada em 29 de janeiro de 2013.
  5. [1]
  6. [2]
  7. Consulte o ranking do Enem por escola em 2011. Página visitada em 16 de dezembro de 2012.
  8. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v Frazão A; Nougué C. Colégio de São Bento do Rio de Janeiro : 150 anos de história. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2008. ISBN 978-85-7785021-1
  9. [3]
  10. Vasconcellos, Anselmo. Entrevista. Entrevista com Anselmo Vasconcellos: "Educar é amar! Não impor, e sim dialogar com igualdade" (texto). Tititi Entrevista. Página visitada em 29 de janeiro de 2013.
  11. Tufano Silva. Craques inglórios – Heleno de Freitas: o goleador que poderia ser eterno, mas preferiu ser maldito.. Página visitada em 29 de janeiro de 2013.
  12. Alessandra Moura Bizoni. Colégio de São Bento: formação humanista ultrapassa as cobranças do Enem. Página visitada em 29 de janeiro de 2013.
  13. Sílvio Lancelotti. Trajano, o guerrilheiro da ESPN. Página visitada em 29 de janeiro de 2013.

Fontes[editar | editar código-fonte]

  • Frazão A, Nougué C. Colégio de São Bento do Rio de Janeiro : 150 anos de história, 1858-2008. Rio de Janeiro, RJ: Ed. Letra Capital; 2008.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre escolas ou colégios é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.