Desaparecidos (filme)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Desaparecidos
Pôster promocional
 Brasil
2011 • cor • 72 min min 
Direção David Schürmann
Produção Gabriela Tocchio, David Schurmann
Roteiro Rafael Blecher, David Schurmann
Elenco Adriana Veraldi
André Madrini
Charlene Chagas
Fernanda Peviani
Natália Vidall
Género Terror
Idioma Português
Distribuição Produção independente
Lançamento 9 de dezembro de 2011
Orçamento R$ 55 mil

Desaparecidos é um filme de terror brasileiro de 2011 dirigido por David Schürmann e escrito por Rafael Blecher e Schürmann. Estrelado por Adriana Veraldi, André Madrini, Charlene Chagas, Fernanda Peviani, Natália Vidall, o filme conta a história de um grupo de seis amigos que após irem a uma festa em uma ilha, desaparecem e apenas câmeras com imagens assustadoras dos mesmos são encontradas pelas autoridades, sendo estas imagens o único meio para descobrir o que aconteceu com eles.

Com produção independente, o filme foi rodado por quinze dias em Ilhabela, São Paulo e teve um custo de cinquenta e cinco mil reais. Filmado em formato de pseudodocumentário, sendo comparado ao filme norte-americano The Blair Witch Project (1999). É o primeiro longa-metragem transmídia do Brasil.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Filmado no estilo mockumentary (falso documentário), Desaparecidos é ambientado em outubro de 2011 narra o trágico destino de um grupo de seis jovens amigos que é convidado para uma festa super exclusiva na cidade de Ilhabela, no litoral Norte de São Paulo, e se depara com uma lenda local que se mostra bastante real e violenta. Depois de receber o convite, cada um dos amigos deve pendurar uma pequena câmera em seu pescoço, registrando em vídeo cada passo da jornada até a festa e seus momentos de diversão. No entanto, eles morrem e as autoridades encontram apenas as câmeras que são as únicas pistas sobre o e aconteceu. O que a polícia encontra depois dentro dos aparelhos são cenas de puro terror que os jovens viveram durante a madrugada enquanto estiveram perdidos na mata e foram perseguidos por uma misteriosa entidade.[1] [2] [3]

Produção[editar | editar código-fonte]

Após David Schürmann dirigir o documentário O Mundo em Duas Voltas (2007) que conta a história das viagens feita por sua família ao redor do mundo, Desaparecidos começou a entrar em concepção.[4] O longa foi filmado por quinze dias em Ilhabela, São Paulo[2] e teve um custo de cinquenta e cinco mil reais,[2] sendo chamado de "mockumentary".[2]

Transmidia[editar | editar código-fonte]

O filme Desaparecidos se configura como uma das maiores produções Transmídia, feitas no Brasil. Sua campanha de lançamento se misturava com o próprio enredo do filme, fazendo com que o espectador participasse da trama e para desenvolver esta estretégia, David Schurmann contou com o estrategista digital Icaro de Abreu.

Elenco[editar | editar código-fonte]

  • Adriana Veraldi como Carla
  • André Madrini como Rodrigo
  • Charlene Chagas como Alexa
  • Fernanda Peviani como Fábia
  • Natália Vidall como Kamila
  • Pedro Urizzi como Marco
  • Francisco Carvalho como Pescador
  • André Madrini como Escravo

Recepção[editar | editar código-fonte]

Críticos[editar | editar código-fonte]

Desaparecidos foi na sua maioria recebido por revisões mistas por críticos especializados no cinema. Julia Moura do Jornal do Brasil considerou-o como um filme bom, com Moura escrevendo "as tomadas da câmera, ainda que lembrem os filmes já citados [Cloverfield, Atividade Paranormal e Bruxa de Blair], conseguem prender a atenção do espectador", encerrando com a afirmação: "a dificuldade vai ser perder o medo".[5] Érico Borgo do portal UOL classificou o filme como ruim em sua crítica. Alegando que não passa de uma cópia de filmes estrangeiros, dizendo: "Independente da irrelevância do debate, se Desaparecidos tivesse alguma ideia verdadeiramente sua, talvez valesse a pena. Mas Schurmann faz uma colagem sem-vergonha de tudo o que foi lançado nesse estilo [transmídia] até aqui - e consegue ser ainda pior do que seus antecessores."[6] Lucas Siqueira Cesar do site Cinema na Rede salientou semelhança com o filme "A Bruxa de Blair", dizendo que "O filme é diversão garantida para o público jovem no começo das férias, e não faz feio na principal característica de um filme de terror: a capacidade de gerar medo."[7]

Referências

  1. Desaparecidos, o filme transmídia brasileiro Rede Brazucah. Visitado em 22 de novembro de 2011.
  2. a b c d Ana Okada (18 de novembro de 2011). Diretor de documentários da família Schurmann embarca em ficção ao estilo "Bruxa de Blair" UOL. Visitado em 22 de novembro de 2011.
  3. http://www.interfilmes.com/filme_26640_Desaparecidos-(Desaparecidos).html
  4. Leonardo Mecchi. O Mundo em Duas Voltas, de David Schürmann (Brasil, 2007) Revista Cinética. Visitado em 25 de novembro de 2011.
  5. Moura, Julia (8 de dezembro de 2011). Crítica: 'Desaparecidos' Jornal do Brasil. Visitado em 23 de fevereiro de 2012.
  6. Borgo, Érico (8 de dezembro de 2011). Desaparecidos Crítica UOL. Visitado em 23 de fevereiro de 2012.
  7. Cesar, Lucas Siqueira (8 de dezembro de 2011). Crítica - Desaparecidos, O Filme Cinema na rede. Visitado em 23 de fevereiro de 2012.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]