Itapecerica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Itapecerica
"Cidade das Rosas e do Tamanduá"
Bandeira desconhecida
Brasão de Itapecerica
Bandeira desconhecida Brasão
Hino
Fundação 20 de novembro de 1789
Gentílico itapecericano
Prefeito(a) Antônio Dianese (PP)
(2013–2016)
Localização
Localização de Itapecerica
Localização de Itapecerica em Minas Gerais
Itapecerica está localizado em: Brasil
Itapecerica
Localização de Itapecerica no Brasil
20° 28' 22" S 45° 07' 33" O20° 28' 22" S 45° 07' 33" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Oeste de Minas IBGE/2008 [1]
Microrregião Formiga IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Divinópolis, Formiga, Oliveira, Cláudio, Camacho, Pedra do Indaiá
Distância até a capital 180 km
Características geográficas
Área 1 042,060 km² [2]
População 21 377 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 20,51 hab./km²
Altitude 835 m
Clima Tropical de altitude [[Classificação climática de Köppen-Geiger|(Cwb)]]
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,763 alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 161 155,875 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 7 594,53 IBGE/2008[5]
Página oficial

Itapecerica é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Sua população em 2010 era de 21.235 habitantes segundo o censo do IBGE[3] . A superfície é de 1.042 km² e a altitude de 835 metros. O nome da localidade deriva do tupi, significando "pedra escorregadia".

A economia do município se baseia na extração mineral (grafite), na agropecuária e no turismo.

História[editar | editar código-fonte]

Nascida no final do século XVII e situada no coração do Vale do Itapecerica no Centro-Oeste de Minas, a cidade foi o décimo município criado na Capitania de Minas Gerais, hoje estado de Minas Gerais, e surgiu de uma trilha de bandeirantes que saía de Tiradentes e levava até o estado de Goiás, no início da exploração aurífera.

O nome da região onde hoje é o município de Itapecerica ficou conhecida na época como Conquista do Campo Grande da Picada de Goiás, e servia como local de descanso para os bandeirantes e exploradores de ouro que cruzavam a região com destino ao estado de Goiás. No início do século XVIII, o bandeirante Feliciano Cardoso de Camargo resolve explorar na cidade, que até então era apenas ponto de passagem. A região era realmente muito rica em ouro, atraindo exploradores que fixaram suas famílias no local, formando um arraial.

No dia 30 de maio de 1744, a Câmara da Vila de São José Del Rei, hoje Tiradentes, se apossa do arraial, com grande interesse no ouro e no crescimento da região. O lugar recebeu o nome de Arraial de São Bento, devido aos numerosos animais peçonhentos que habitavam o então arraial. Em 15 de fevereiro de 1757 é criada a Paróquia de São Bento, sendo o primeiro vigário o padre Gaspar Álvares Gondim. Muito popular, o vigário atraiu muitos fiéis para a recém criada paróquia e desde então a religiosidade é marca do povo.

Em 20 de novembro de 1789, o arraial é elevado à posição de Vila, por determinação do então Governador das Minas Gerais, Visconde de Barbacena. Comemora-se na data de 20 de novembro, o aniversário de Itapecerica, e 1789 é considerado o ano de sua fundação. Em 18 de janeiro de 1790 é erguido o pelourinho atrás da Igreja Matriz e posteriormente eleita a primeira Câmara da Vila.[6]

E percorrendo este caminho, em 1819, Saint-Hilaire, descreve, no livro "Viagem às nascentes do Rio São Francisco", a "fazenda Cachoeirinha", do Capitão-Mór de Itapecerica (na época chamada Vila de Tamanduá), João Quintino de Oliveira, que comandou Itapecerica de 1803 até sua morte em 1844, e era oriundo de Glaura e que fora vereador em Ouro Preto em 1792, sendo irmão do fundador de Uberaba, o Sargento-Mór Antônio Eustáquio da Silva e Oliveira[7] . Saint Hilaire descreve como muito simples a vida nas fazendas de então e ressalta a criação de porcos:

Cquote1.svg "A propriedade de CACHOEIRINHA, situada um pouco antes de TAMANDUÁ, tem três léguas de comprimento por duas de largura. Vi aí uma quantidade considerável de gado vacum, de porcos e carneiros. Seu proprietário, o Capitão-Mór JOÃO QUINTINO DE OLIVEIRA, vendera nesse ano, no Rio de Janeiro, porcos no valor de dois contos de réis. Era um homem educado e cuja mesa atestava de sobra a sua riqueza. Não obstante a casa que ocupava era quase tão mal cuidada e modesta quanto as que eu vira em todas as outras fazendas. Ficava situada, como as senzalas, ao fundo de um vasto terreiro e rodeada por mourões que tinham a grossura de uma coxa e a altura de um homem, tipo de cercado muito em uso na região. Da varanda, bastante ampla, em cuja extremidade fora erguido um pequeno oratório passava-se para uma grande peça coberta de telhas-vã e de paredes sem caiação, cuja mobília constituía-se em alguns bancos de madeira, tamboretes forrados de couro e uma enorme talha com um caneco de ferro esmaltado para retirar a água. Os poucos quartos que davam para esta sala eram pequenos e não apresentavam mobiliário mais variado.". Cquote2.svg
Saint-Hilaire

No dia 04 de outubro de 1862 a Vila é elevada à condição de Cidade, com o nome de São Bento do Tamanduá, que permaneceu até 1882, quando o nome passou a ser Itapecerica, nome em Tupi-guarani que significa “pedra escorregadia" ou "penhasco de encosta lisa”.

Divisas[editar | editar código-fonte]

As principais cidades próximas são Formiga e Divinópolis, ambas distantes cerca de 60 quilômetros. Está a 180 quilômetros da capital Belo Horizonte.

Cultura, esporte e lazer[editar | editar código-fonte]

Seus principais monumentos histórico-culturais são seu centro urbano, onde ainda persiste o casario de estilo colonial, a Igreja de Nossa Senhora do Rosário, Igreja de Nossa Senhora das Mercês, Igreja de São Francisco e a Matriz de São Bento, obra mais imponente da cidade e local do palco principal do Festival de Inverno, evento artístico que ocorre anualmente na última semana de julho. Outro ponto de destaque, a 2 km do centro, é o casarão colonial bi-centenário da Fazenda Palestina, que foi recentemente restaurado e adaptado para o turismo rural.

Além da importante cultura, fé religiosa e seu talento artístico, o povo itapecericano se dividiu durante tempos pela paixão futebolística. São Bento e União dividiam a cidade, fazendo um tradicional clássico da região. Apesar da força de antigamente, o esporte local já não desperta o mesmo interesse e, hoje em dia, o Torneio de Inverno de Futsal é o que mais empolga a cidade.

A Semana Santa em Itapecerica, marcada pela viva tradição, é algo surpreendende. Não tão somente a religiosidade popular manifesta em sua população que piedosamente acompanha cortejos e procissões, mas também pela imensa bagagem cultural expressa pela participação da bicentenária Corporação Musical Nossa Senhora das Dores e da Centenária Corporação Musical Santa Cecília. Além disso, a seriedade litúrgica e o espírito católico desta época fazem destas celebrações grande atrativo turístico para a cidade.

Itapecerica é berço de vários músicos de renome. O número de músicos formados nas principais academias do estado provindos deste município é notório. Muitos deles estão inseridos no mercado profissional a frente de projetos de grande relevância cultural ou integram formações orquestrais em diversas partes do país.

Distritos e Povoados[editar | editar código-fonte]

O município de Itapecerica tem três distritos: Marilândia, Neolândia e Lamounier. Entre os povoados estão Barreiro, Cafofo, Inácio Caetano, Gama, Casa Queimada, Lameus, Lagoa, Santo Antônio, Sabarazinho,Palmeiras.

Geografia[editar | editar código-fonte]

O município de Itapecerica é bem extenso, com superfície 1.042 Km², da qual 75% é montanhosa. Seu ponto mais alto é a Serra do Barreiro, ou das Antenas, como é conhecida, com uma altitude de 1.187 metros em relação ao nível do mar. A da cidade se situa a 853 metros de altitude. O clima em Itapecerica é o tropical de altitude (Cwb), com verões amenos e úmidos, e invernos frios e secos. As temperatura mais baixa e mais alta já registradas na cidade foram, respectivamente, 7,2°C e 37°C. Novembro, Dezembro, Janeiro, Fevereiro e Março são os meses mais quentes, com temperaturas mínimas e máximas de 17°C e 28°C, e os meses mais frios são compreendidos entre final de Abril, Maio, Junho, Julho, Agosto e Setembro com temperaturas mínimas e máximas entre 5°C e 21°C.


Gráfico climático para Itapecerica
J F M A M J J A S O N D
 
 
269
 
28
17
 
 
212
 
28
18
 
 
176
 
27
16
 
 
70
 
26
15
 
 
27
 
24
11
 
 
19
 
22
8
 
 
10
 
21
5
 
 
13
 
22
7
 
 
58
 
23
9
 
 
130
 
25
12
 
 
204
 
27
15
 
 
320
 
28
17
Temperaturas em °CPrecipitações em mm

Personalidades[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. a b Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  6. [1], História de Itapecerica - MG. Prefeitura Municipal de Itapecerica. Página visitada em 31 de julho de 2013.
  7. PONTES, Hildebrando de Araújo, "A família Silva e Oliveira", Uberaba, 1940

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Lago de Furnas
Aguanil | Alfenas | Alpinópolis | Alterosa | Areado | Boa Esperança | Cabo Verde | Camacho | Campo Belo | Campo do Meio | Campos Gerais | Cana Verde | Candeias | Capitólio | Carmo do Rio Claro | Coqueiral | Cristais | Divisa Nova | Elói Mendes | Fama | Formiga | Guapé | Ilicínea | Itapecerica | Lavras | Nepomuceno | Paraguaçu | Perdões | Pimenta | Ribeirão Vermelho | São João Batista do Glória | São José da Barra | Três Pontas | Varginha