Júlio César da Silva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Julio César
Julio cesarsilva.jpg
Informações pessoais
Nome completo Julio César da Silva
Data de nasc. 8 de Março de 1963 (51 anos)
Local de nasc. Bauru (SP), Brasil
Altura 1,88 m
Informações profissionais
Clube atual Aposentado
Posição Zagueiro
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
1979-1986
1986-1987
1987-1990
1990-1994
1994-1998
1998
1998-1999
1999
1999-2000
2001
Brasil Guarani
França FC Brest Armorique
França Montpellier
Itália Juventus
Alemanha Borussia Dortmund
Brasil Botafogo
Alemanha Borussia Dortmund
Grécia Panathinaikos
Alemanha Werder Bremen
Brasil Rio Branco
Seleção nacional
1986-1993 Brasil Brasil 14 (1)

Júlio César da Silva (Bauru, 8 de março de 1963) é um ex-futebolista brasileiro, tendo atuado como zagueiro por diversos times no Brasil e Europa.

Iniciou sua carreira profissional em 1979, nas categorias de base do Guarani de Campinas, time que defendia quando foi convocado pela primeira vez para a Seleção Brasileira. Graças à sua regularidade na zaga central, foi convocado por Telê Santana para a Copa do Mundo de 1986, tendo sido titular absoluto do time que disputou a competição no México. O único fato negativo em sua ótima passagem pela Seleção Brasileira, foi o penalti desperdiçado contra a França.

Após a Copa foi vendido para o futebol francês. Defendeu ainda as camisas de clubes como a Juventus da Itália (pelo qual foi campeão da Taça UEFA em 1993) e o Borussia Dortmund da Alemanha (no qual foi campeão alemão, da Liga dos Campeões da UEFA e do Mundial Interclubes). Júlio César encerrou sua carreira em 2001, aos 37 anos de idade, e trabalha atualmente como empresário de jogadores.

Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Júlio César disputou treze partidas pela Seleção e marcou um gol. Foi titular na Copa do Mundo de 1986 e foi eleito pela FIFA o melhor zagueiro central da competição.

Apesar de preterido na Copa seguinte, a de 1990, Júlio César tinha enormes chances de disputar a de 1994, quando, atuando pela Juventus, era tido como um dos melhores defensores do mundo. No entanto, na disputa da US Cup, no ano anterior ao Mundial, o jogador teve, na concentração antes de um dos jogos da Seleção, seus pertences roubados no hotel. Chateado com a CBF, que não se responsabilizou pelo acontecimento, Júlio César acabou deixando a Amarelinha e viu, com isso, naufragarem as suas possibilidades de se tornar tetracampeão. Ao zagueiro: "Não joguei mais por causa disso mesmo. Tive um prejuízo muito grande com aquilo e não fui reparado. Vi que não tinha mais porque permanecer depois daquilo. Mas eu queria ter participado mais da seleção brasileira. Só que me roubaram, foi um valor significativo. Já se passaram muitos anos e não gosto de ficar lembrando."[1]

Títulos[editar | editar código-fonte]


Referências