Minigolfe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde novembro de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde novembro de 2010).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.

Minigolfe é um desporto de origem britânica que surgiu como alternativa ao golfe, no sentido de estar acessível a uma secção menos elitista de sociedade do século XX. Os princípios gerais do minigolfe são grosseiramente comparáveis ao do golfe enquanto no "green". Consiste então no arremessar uma bola por acção de um taco a partir de uma marca de saída, para que essa se desloque e ultrapasse um obstáculo ou série de obstáculos até permanecer estática num pequeno buraco. O objectivo principal prende-se na colocação da bola no buraco com o mínimo de acções criadas pelo taco, designadas tacadas. Designa-se por pista a junção dos elementos obstáculo ou série de obstáculos, marca de saída e buraco, assentes sobre uma base rígida.

Regras[editar | editar código-fonte]

Para começar a jogar, o praticante deve deslocar-se para a primeira pista e colocar a bola na marca de saída. Tentará então colocar a bola no buraco com o número mínimo de tacadas, tendo um número máximo de seis para colocar a bola no buraco. Caso não tenha sucesso, recebe uma tacada de penalização e desloca-se para a pista seguinte ou passa a vez a outro companheiro de equipa. Cada tacada vale um ponto. Cada circuito a praticar deve conter exactamente 18 pistas. O objectivo é minimizar o número de tacadas necessárias para a realização do circuito. A execução completa de todo o circuito designa-se volta.

Material de jogo[editar | editar código-fonte]

Os acessórios essenciais são, naturalmente, o taco e a bola. Ao contrário do golfe, no minigolfe o taco é único (salvo em situações raras) e o contacto com a bola é feito com uma borracha desenvolvida para o efeito. Mais uma vez, ao contrário do golfe, existe uma enorme variedade de bolas, que se distinguem por características como salto, dureza, peso, tamanho e rugosidade.

Taco[editar | editar código-fonte]

O taco usado para a prática do minigolfe é em tudo semelhante ao "putter" de golfe, mas com borracha, que contacta a bola. O tipo de borracha a utilizar varia na sua dureza. Apesar de na esmagadora maioria das vezes se usa o mesmo taco, existem inúmeros modelos à escolha, que variam essencialmente no ângulo de abertura, no acabamento da patilha (secção do taco que entra em contacto com a bola) e no peso. As características do taco dependem do estilo de cada jogador. Podem destacar-se algumas marcas (modelos) de taco correntemente utilizados no circuito mundial:

  • Nifo (Graphyte, Steel, Ryner)
  • Caddy (Classic, P1, P2, Star, Top)
  • 3D
  • Fun Sports
  • Benny (Benny, Ex, Parex)
  • Game N' Fun (Game N' Fun, Magnum)

É usual recomendar-se os tacos Fun Sport ou Game N' Fun ou Nifo Steel para quem se inicia na modalidade. Sendo estes modelos muito idênticos, proporcionam ao principiante uma margem de erro superior. É importante que o iniciado adquira o quanto antes um taco adequado, para que a sua técnica não se desenvolva num taco da má qualidade.
Tal como em qualquer instrumento desportivo que se agarra com as mãos, um taco possui um grip de borracha. É uma prática corrente colocar um isolamento extra, para aumentar a aderência das mãos, impedindo que o suor afecte o movimento. No entanto, este comportamento não é consensual, sendo inclusivamente ignorado por alguns jogadores de topo mundiais.

Bola[editar | editar código-fonte]

Existe uma grande variedade de bolas, classificadas pelo salto, dureza, peso, tamanho e rugosidade. A definição de salto de uma bola varia consoante o jogador, mas em geral é tomado como a altura atingida pela bola após ter tocado uma vez no chão por ter sido largada em queda livre (pela definição do fabricante 3D, a altura inicial é 1m). O salto das bolas pode ir de 0 a cerca de 1m.
A rugosidade de uma bola refere-se à textura que ela apresenta. As bolas designam-se descascadas, com casca ou rugosas com laque (laqueadas).
Existem também inúmeros fabricantes de bolas (mais notoriamente 3D, como ainda Nifo, System Golf, SVGolf, M-TEC, Mg, Ravensburg, entre outros).

Sistemas de jogo[editar | editar código-fonte]

Define-se sistema de jogo como o tipo de circuito que se pratica, isto é, o pavimento e dimensões do terreno de jogo. Actualmente são aceites pela WMF (World Minigolf Association, a Federação Mundial de Minigolfe) quatro sistemas de jogo: Minigolf (Petergolfe, em português, muitas vezes abreviado para "Peter"), Miniaturgolf (minigolfe, em português), Feltgolf (alcatifa, em português, muitas vezes designado "Felt") e MOS (Minigolf Open System, ou sistema aberto). Cada um destes sistemas apresenta regras muito específicas, bem definidas pela WMF.
Muito resumidamente, o petergolfe constitui um conjunto de 18 pistas, organizadas sempre com a mesma ordem, que têm geralmente 12m de comprimento, com excepção um uma que pode conter entre 20 e 25m de comprimento. É o circuito em que as pistas têm maior tamanho em área. O material do pavimento é betão.
O minigolfe apresenta um conjunto de 27 pistas, das quais apenas 18 constituem um circuito. O comprimento das pistas é sempre de 6,25m. O material aceita pela WMF é designado eternite, que é uma liga fina de betão.
As pistas de alcatifa apresentam tamanhos variáveis e o pavimento de jogo é o que dá o nome a este sistema.
Dada a estrutura sensível dos circuitos de minigolfe, este não deve ser pisado pelos preticantes, levando a deformações irreversíveis no pavimento.

Minigolfe em Portugal[editar | editar código-fonte]

O minigolfe em Portugal tem 37 anos de existência com 6 clubes (ADA-Portel; MCPortugal em Algés; Clube de Minigolfe do Porto; MCLamego; Vizelgolfe; Clube de Minigolfe da Costa Nova

Tem cerca de 250 praticantes Já foram disputados em Portugal vários Campeonatos europeus nas diversas categorias, tendo em 2012 o atleta André Manuel atingido o 11º lugar, em Homens, no Campeonato Europeu disputado no Porto.

Este ano, em Portel, houve um 16º lugar em Júniores no campeonato europeu, ali disputado.

Praticamente todos os anos a equipa vencedora do Campeonato Nacional por Clubes, desloca-se à EUROPACUP (Taça dos Clubes Campeões Europeus em Minigolfe) tendo até ao momento a melhor classificação sido o 7º lugar.