O Tesouro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de O tesouro)
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Este artigo ou seção precisa ser wikificado (desde setembro de 2012).
Por favor ajude a formatar este artigo de acordo com as diretrizes estabelecidas no livro de estilo.
O Tesouro é um conto de Eça de Queirós reunidos em Contos, publicado em 1902.

Nele, o autor reflete sobre a natureza humana e a sua relação com a riqueza material.

Os protagonistas são três irmãos (os irmãos de Medranhos): Guanes, Rui e Rostabal. As personagens começam por ser apresentadas coletivamente, mas, à medida que a acção progride, a sua caracterização vai-se individualizando, como que sublinhando o predomínio do egoísmo individual sobre a aparente fraternidade.

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.
    O conto concentra-se na vida de três irmãos de Medranhos (Rui, Guanes e Rostabal) que habitam o Reino das Astúrias talvez os mais famintos e miseráveis fidalgos do reino. Passam os dias no Paço de Medranhos junto à lareira, que há muito que não se acende. Devoram, à noite, pedaços de pão esfregados em alho, indo depois deitar-se no estábulo para aproveitar o calor das suas três éguas. Certo dia, enquanto passeiam na mata de Roquelanes, encontram, numa cova de rocha, um velho cofre de ferro com uma inscrição árabe. Este tem três chaves e as suas respetivas três fechaduras. Os três irmãos ficam obcecados por retornarem às suas vidas de bem-estar, luxo e ostentação, o que faz com que se enfureçam e a duvidem uns dos outros. Com isso, Rui decide que o tesouro será distribuído entre eles com iguais quantidades por todos. Assim decidem que Guanes se dirigirá à vila mais próxima (Retortilho) e trará comida e alforges para carregar o tesouro. Enquanto Guarnes vai à vila, canta: " Olé! Olé! sale la cruz de la iglesia, Vestida de negro luto...". Enquanto isso Rui tenta persuadir/manipular o seu irmão Rostabal a matar Guanes , porque este faz troça dele e irá gastar o dinheiro mal, e assim terão que dividir o tesouro só por dois. Guanes é morto e à primeira oportunidade Rui mata Rostabal, ficando assim o Tesouro só para ele. Enquanto Rui "saboreia" esta vitória sobre os seus irmãos e imagina como será ser o novo Senhor de Medranhos (intitulando-se D. Rui), verifica que o seu irmão só trouxe duas garrafas de vinho para três irmãos, mas levado pela sofreguidão, não dá ao facto grande atenção. Começa a beber o vinho e a comer o Capão que o irmão trouxe. Enquanto carrega o ouro do tesouro para os alforges, começa a sentir um mal-estar, como se uma chama se acendesse dentro dele e, quanto mais ele a tenta apagar, mais a sente. Rui tenta pedir ajuda aos seus irmãos mortos, e tenta sugar a frescura da água mas esta revelas-se como metal derretido, queimando-o. Assim todos os irmãos morrem e o tesouro continua na mata de Roquelanes.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikisource
O Wikisource contém fontes primárias relacionadas com O Tesouro
Ícone de esboço Este artigo sobre literatura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Moral da história:"O dinheiro não traz felicidade!"