Partido do Progresso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Partido do Progresso
Fremskrittspartiet
Framstegspartiet
Líder Siv Jensen
Fundação 1973
Sede Oslo
Ideologia Conservatismo
Liberalismo
Populismo
Membros 21 019[1]
Site www.frp.no

O Partido do Progresso (em norueguês Fremskrittspartiet, abreviadamente FrP) é um partido político norueguês posicionado à direita dos demais partidos representados no Storting, o parlamento da Noruega.[2] É liberal no plano econômico e conservador no plano social, sendo frequentemente considerado por seus oponentes e por observadores políticos como pertencente à direita populista ou à extrema direita.[3] [4] É o segundo partido da Noruega e o principal partido de oposição, desde as eleições legislativas de 2005.

Defende a redução de impostos, o livre mercado, a desregulamentação da economia e a descentralização do Estado.[5] Prega também o estabelecimento de limites mais estritos à imigração. Em matéria de política externa, é favorável a uma cooperação mais intensa com a OTAN, os Estados Unidos e Israel, e pretende um maior controle da ajuda governamental aos países em desenvolvimento.

Atualmente dirigido por Siv Jensen, o partido obteve 22,9 % dos sufrágios e 41 assentos no Storting, o parlamento norueguês, durante as eleições legislativas de 2009.

Em 22 de julho de 2011, um antigo militante do Partido do Progresso foi principal suspeito de um duplo atentado que matou pelo menos 91 pessoas em Oslo e na ilha de Utøya. "Entristece-me ainda mais saber que esta pessoa já esteve conosco", declarou Siv Jensen. O suspeito, identificado como Anders Behring Breivik, foi filiado ao FrP entre 1999 e 2006. Ele também participou da juventude do FrP (a FpU), entre 2002 e 2004.[4]

Referências

  1. Sentralstyrets årsberetning s. 35 - betalende medlemmer.
  2. Normalmente, na Noruega, distinguem-se os "liberais" centristas (liberalere) dos "liberalistas" (liberalister), que estariam mais à direita no espectro político. No preâmbulo do seu programa, o Partido do Progresso identifica-se como liberalister.
  3. La machine populiste, por Jean-Pierre Krief. Dailymotion, 2007.
  4. a b Suspeito militou no partido de direita durante 7 anos. DN Globo/ Lusa
  5. Noruega: O Partido do Progresso na frente das sondagens. Novopress, 19 de junho de 2008.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]