Relé térmico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Imagem das hastes bimetálicas de um Relé térmico.

Relé térmico é um dispositivo de proteção de sobrecarga elétrica aplicado a motores elétricos. Este dispositivo de protecção visa evitar o sobre-aquecimento dos enrolamentos do motor quando ocorre uma circulação de Corrente elétrica acima da tolerada nos seus enrolamentos. Este aquecimento é prejudicial ao motor, uma vez que acarreta a redução da vida útil do mesmo, por desgastar o isolamento dos enrolamentos modificando sua rigidez dielétrica.

Função[editar | editar código-fonte]

Também chamado de relé de sobrecarga, ou mesmo de relé bimetálico, sua função é atuar desligando o motor antes que o limite de deterioração seja atingido. O relé térmico é uma réplica do motor, pois é criado com base em um modelo térmico do mesmo. Sua fabricação se dá, a partir da laminação de dois metais de coeficientes de dilatação diferentes unindo-os por meio de um enrolamento por onde passa a corrente que vai para o motor. Recomenda-se a instalação de um relé térmico para cada fase do motor, pois a instalação em uma ou duas fases, no caso do motor elétrico motor trifásico, pode não ser o bastante para proteger o mesmo. Como o enrolamento do relé térmico é ligado em série com a fase, caso haja aquecimento, o par Placa bimetal bimetálico se deforma, promovendo uma curvatura devido à diferença de dilatação entre os metais, o que leva a libertação do dispositivo de trava contido num invólucro isolante de alta resistência térmica abrindo os contatos do relé e a consequente abertura do circuito do motor. A temperatura ambiente também pode provocar a dilatação das lâminas bimetálicas, caso seja superior ao limite de ajuste, situação passível de ocorrer em quadros de distribuição por exemplo. Para evitar tal fato, altera-se a conformação das lâminas bimetálicas ou utiliza-se uma lâmina bimetálica auxiliar influenciada apenas pela temperatura ambiente.

Classes[editar | editar código-fonte]

Os relés térmicos são divididos em classes de disparo, tornando possível a adaptação dos mesmos ao tempo de partida dos motores ignorando as altas correntes de partida e disparando apenas se este tempo se prolongar demasiadamente, conforme tabela abaixo.

Tempo de disparo a partir do estado frio[editar | editar código-fonte]

Classe 1,05Ir 1,2Ir 1,5Ir 7,2Ir
10A > 2h < 2h < 2min 2 ≤ t ≤ 10s
10 > 2h < 2h < 4min 4 ≤ t ≤ 10 s
20 > 2h < 2h < 8min 6 ≤ t ≤ 20 s
30 > 2h < 2h < 12min 9 ≤ t ≤ 30 s

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Aprenda mais sobre esse assunto[editar | editar código-fonte]

Referências bibliográficas[editar | editar código-fonte]

  1. FRANCHI, C. M. Acionamentos Elétricos. 4. ed. São Paulo, SP. Editora Érica, 2008. 250p.
  2. LOBOSCO, O. S.; DIAS, J. L. P. da C. Seleção e aplicação de motores elétricos. São Paulo, SP. McGraw-Hill: Siemens S.A., 1998 – (Série brasileira de tecnologia). P.351.