Shujing

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Shujing (尚書 ou 書經)
Autor (es) Compilação atribuída à Confúcio; vários autores
Idioma Chinês antigo
País China
Assunto Compilação de diversos discursos antigos e registros de eventos
Editora Várias
Zhongwen.svg Este artigo contém texto em chinês.
Sem suporte multilingue apropriado, você verá interrogações, quadrados ou outros símbolos em vez de caracteres chineses.

Shujing (chinês tradicional: chinês simplificado: pinyin: ShūjīngWade-Giles: Shu-ching), um dos Cinco Clássicos, é uma compilação de discursos de figuras importantes e registros de eventos na China antiga. Também é comumente conhecido como Shangshu (chinês tradicional: chinês simplificado: , literalmente: "Documentos Estimados"), ou simplesmente Shu (chinês tradicional: chinês simplificado: , coloquialmente: "Documentos"). O título também é traduzido em textos ocidentais de várias formas, como Clássico de História, Clássico de Documentos, Livro da História ou Livro de Documentos Históricos e foi anteriormente romanizado como Shu-king.[1]

Os 58 capítulos do texto são divididos em Texto Novo e Texto Antigo, com base em sua história. Todo o trabalho foi aceito pela maioria dos estudiosos até o século XVII, quando Yan Ruoqu mostrou que os capítulos do Texto Antigo tinham sido forjados no século III ou IV. Em contraste, alguns dos capítulos do Texto Novo estão entre os primeiros exemplos de prosa chinesa, registrando discursos dos primeiros anos da dinastia Zhou do século XI a.C. Outros capítulos são de composição posterior, sendo que os relativos aos primeiros períodos são do século IX a.C.[1]

Referências

  1. a b Enciclopédia BritannicaShujing. Visitado em 15 de janeiro de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre a China é um esboço relacionado ao Projeto Ásia. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.