Sociedade da China Antiga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Sociedade na China Antiga desenvolveu-se a partir de tribos nas quais os xamãs cada vez mais tomavam controle dos ritos religiosos para liderar a sociedade, que se iniciou no período Longshan. As dinastias chinesas começaram por volta de 2000 a.C. e terminou por volta de 221 a.C. com a unificação da china em um único império.1

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre História da China é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

A China, com ricas relíquias culturais e monumentos históricos, é um dos países de mais antiga civilização e sua história possui fontes escritas de quase 4 mil anos. Nada há que se compare, por exemplo, ao mundo egípcio ou ao greco-romano. A civilização chinesa nasceu na grande planície banhada pelo Rio Amarelo e se desenvolveu progressivamente de leste para oeste e, principalmente, do norte para o sul.

A enciclopédia refere que a China passou por 19 dinastias. A economia e a cultura da antigüidade chinesa eram relativamente desenvolvidas. Nas dinastias Han e Tang, épocas prósperas da sociedade feudal chinesa, as técnicas agrícolas, artesanais e a construção naval registaram grande desenvolvimento. Graça às avançadas comunicações terrestres e marítimas a China estabeleceu fortes vínculos econômicos e culturais com o Japão, a Coréia, a Índia, Pérsia, países árabes e outros.

É sabido que o fabrico de papel, a tipografia a pólvora e a bússola são quatro grandes invenções técnico-científicas da China antiga, em que se condensam a inteligência e o esforço do povo chinês e que produziram consideráveis e profundas influências sobre a vida humana.

A China tem passado uma larga história de sociedade primitiva, sociedade esclavagista, sociedade feudal, sociedade semi feudal semi colonial e a atual sociedade socialista.

Os chineses foram os primeiros a utilizar o conceito de moeda e, a princípio eram meros invólucros, mas depois trocaram utensílios ms pequeos metálicos como facas ou ferramentas que agrcolas, a fim de construir e transportados, eram cada vez mais pequeos ms hacindose se tornar pequeos pedaços de metal com inscrições.

A sociedade chinesa das dinastias foi caracterizado como sendo essencialmente rural, como a agricultura ea pecuária foram as principais atividades econmicas. Mas com o tempo a população cresceu e precisava de recorrer a todos os recursos e mares de consumo alimentar generalizar e Ros, que até à data ainda formam uma parte importante da dieta chinesa. 
A antiga sociedade chinesa foi estruturado da seguinte forma: 
O Imperador 
Os Mandarins 
Comerciantes, proprietários de terras, artesãos 
Camponeses 
Escravos 
O imperador e da família real estavam na parte mais alta da pirâmide social, eram todo-poderoso e onipotente. Eles foram concedidas caráter quase sagrado, a ponto de que o imperador era chamado de "Filho do Céu", daí suas ordens, decisões e acatados mnimos desejos eram sempre de medo e pressa. 
O exército eo dinheiro do império controlado os mandarins, que estavam a cargo do Estado, portanto, administracin foram os setores da sociedade e cultura chinesas receber educacin ms. Em suas mãos todo o poder era centralizado militar, judicial e administrativo.
Vemos, de acordo com aqueles que são forçados a trabalhar para o seu sustento, mas também para o império: os comerciantes, proprietários de terras, artesãos, ou seja, negociados e gerou a riqueza real. 
Os camponeses estavam no penúltimo escaln da sociedade chinesa desde os últimos escravos foram, no entanto, o primeiro constituan a grande maioria da população. De acordo com as tradições e leis do antigo império chinês, a moeda deve ser escravos acuadores, como, como, os criminosos recebem a escravidão como castigo, mas também miséria condenado como muitos a vender-se ou a seus filhos para sobreviver.