Teoria da expansão da Terra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Teoria da expansão da Terra (em inglês: Expanding Earth theory) é uma tentativa de se explicar a posição e movimento dos continentes sobre a superfície da terra. A teoria da terra em expansão (e a Tectônica de Placas) incorpora o aparecimento de novo material crustal (cadeias meso-oceânicas), mas o processo de subducção é totalmente ausente nesse modelo, assim como as Colisões de Placas. A deriva continental é resultado da expansão da superfície da terra com o incremento de seu raio.

Fenômeno hipotético da subducção, segundo o qual uma placa é empurrada para baixo de outra placa.

A subducção[editar | editar código-fonte]

A subducção é algo ainda existente apenas no campo especulativo, fato este que ainda abre margem para a hipótese da terra em expansão, embora a Teoria da Terra em expansão também se posiciona no campo especulativo no que tange à explicação das causas do incremento do tamanho do globo ao longo das eras.

Os dados obtidos sobre a idade do fundo oceânico do globo[editar | editar código-fonte]

Segundo a Teoria da Terra em Expansão e a premissa de que a subducção é algo inexistente, a área correspondente aos oceanos não existia há cerca de 180 milhões de anos.
Dados de NOAA referente a idade da crosta oceânica.

Segundo a Teoria da Terra em Expansão e a premissa de que a subducção é algo inexistente, a área correspondente aos oceanos surgiu há apenas 180 milhões de anos, como simulado nos dados de NOAA acima

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

ligações históricas
Outros links