União Patriótica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Unión Patriótica (em espanhol: Unión Patrótica) foi um partido político fundado em 1985 como uma proposta política democrática por parte das FARC-EP, porém, com o tempo como distante à luta armada levantado em armas. O Partido Comunista Colombiano também participou na formação e organização da UP.

A UP nasceu do processo de paz que se acelerou com o governo de Belisario Betancur.

Em 1986, Jaime Pardo Leal, chegou a obter 4,6% da votação, atingindo o terceiro lugar nas eleições presidenciais. Obteve a mais alta votação na história dos partidos de esquerda colombianos, com cinco senadores, 14 deputados, 351 vereadores e 23 prefeitos.

Dois candidatos presidenciais, 7 congressistas, 13 deputados, 70 vereadores, 11 prefeitos. No total, 3.000 integrantes da UP foram assassinados [1] por agentes do estado colombiano e grupos paramilitares ligados a narcotraficantes como a "ACCU" dos irmãos Fidel e Carlos Castaño Gil e a "MAS" de Pablo Escobar.

Alguns sobreviventes do extermínio abandonaram o país. No dia 11 de Novembro de 1988, quarenta militantes foram publicamente executados na praça central do município de Segóvia, no distrito de Antioquia. Foram perseguidas famílias inteiras, a exemplo dos Cañon­-Trujillo, cujo militantismo levou ao assassinato de quatro dos seus membros [2] .

Veja também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Partido colombiano quer explicações sobre 'extermínio' - BBC acessado em 25 de fevereiro de 2008
  2. Ilimar Franco - O Globo online acessado em 25 de fevereiro de 2008