Valor econômico adicionado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
A página está num processo de expansão ou reestruturação.
Esta página atravessa um processo de expansão ou reestruturação. A informação presente poderá mudar rapidamente, podendo conter erros que estão a ser corrigidos. Todos estão convidados a contribuir e a editar esta página. Caso esta não tenha sido editada durante vários dias, retire esta marcação.

Esta página foi editada pela última vez por Odacir Blanco (D C) há 27 dias atrás. (Recarregar)

Valor econômico adicionado ou simplesmente valor adicionado ou, ainda, valor agregado é uma noção que permite medir o valor criado por um agente econômico. É o valor adicional que adquirem os bens e serviços ao serem transformados durante o processo produtivo.

Em uma empresa, o valor adicionado é a contribuição adicional de um recurso, atividade ou processo para a fabricação de um produto ou prestação de um serviço.

Em termos macroeconômicos, é o valor dos bens produzidos por uma economia, depois de deduzidos os custos dos insumos adquiridos de terceiros (matérias-primas, serviços, bens intermediários), utilizados na produção.

Do Inglês, EVA[1]  : Economic Value Added.

A fórmula para o cálculo do EVA é composto por: Lucro Operacional após o Imposto de Renda e Custo de Capital, desta forma:

EVA= Lucro Operacional após o Imposto de Renda - (Capital Investido x Custo de Oportunidade)

Origem[editar | editar código-fonte]

Há uma certa controvérsia quanto a origem do método, alguns autores afirmam que foi introduzido pela General Motors em meados de 1920, outros estudos mostram que já era utilizado por estudiosos alemães no início do século passado.[2]

De qualquer forma ficou esquecido ou pouco utilizado até os anos 1980, quando foi patenteado por Joel Stern e G. Bennett Stewart III, sendo posteriormente disseminado pela Consultoria Stern Stewart Co, tornando-se a partir daí popular em muitas empresas como medida de performance.

Objetivos[editar | editar código-fonte]

Um dos objetivos principais do EVA, cuja metodologia principal está apoiada em conceitos de Administração Financeira, é demonstrar se uma empresa está efetivamente criando valor aos seus acionistas. Baseado neste ponto, o indicador permite a executivos, acionistas e investidores, avaliar com, clareza se um capital empregado aplicado em um determinado negócio está sendo bem remunerado. Principais objetivos:

  • Possibilita a avaliação das decisões tomadas pelos gestores da empresa bem como a projeção de cenários futuros;
  • Possibilita o conhecimento das causas da criação/destruição de valor e permite indicar as alternativas que podem reverter a situação;
  • Concentra os esforços de toda a empresa para incrementar operacionalmente os negócios e aumentar a riqueza dos sócios/investidores no longo prazo;
  • Torna transparente aos gestores o objetivo mínimo de remuneração aos sócios e acionistas;
  • Pela sua simplicidade, permite a gestores não financeiros o entendimento do método, o qual permite seu acompanhamento e a aplicabilidade na busca dos resultados traçados.[3]

Fatores[editar | editar código-fonte]

Geração/Destruição de Valor

Basicamente são três os meios de adicionar valor e uma empresa:

  • Tentar lucrar mais sem usar mais capital: geralmente esta alternativa está associada à redução de custos e cortes: porém é importante lembrar que existem diversas formas de elevar o faturamento, explorando-se oportunidades de mercado e as necessidades dos clientes;
  • Usar menos capital nas operações: neste caso, a empresa deve centrar ações na revisão dos processos e das despesas e custos a eles atrelados;
  • Investir em projetos de retorno elevado: a utilização de todo ou parte do capital, deve ser extremamente criteriosa, de maneira que somente se busque selecionar e investir em projetos de alto retorno.

Na figura ao lado(Figura 1) vemos o conceito de Goodwill, onde o processo de mais valia, foi adicionado e o mercado, se propõe a pagar mais pela empresa, devido a geração de valor. Em contrapartida vemos também a destruição de valor, onde o valor de mercado proposto é menor do que efetivamente vale seu capital.

Metodologia de Cálculo[editar | editar código-fonte]

O cálculo do EVA, assume inúmeras variantes,porém no seu conceito básico pode ser demonstrado abaixo:[4]

Cálculo do EVA - Através da Teoria das Finanças


Cálculo do Capital Empregado

Capital Empregado $ %
Passivo Circulante/Exigível 60.000 60,0%
Patrimônio Líquido 40.000 40,0%
Total do Passivo 100.000 100,0%
     
Custo do Capital Próprio(1)   18,0%
Custo do Capital de Terceiros(2)   20,0%
Alíquota do Imposto de Renda   25,0%
     
Cálculo do Custo do Capital de Terceiros
Taxa Bruta x (1- IR) 20,0% x (1-0,25) = 15,0%
Cálculo médio ponderado de Capital
WACC3 = (0,60 x 15,0%) + (0,40 x 18,0%) WACC = 16,2%

(1) Definido pelo acionista, ou seja, quando ele espera ganhar comparando com o custo de oportunidade oferecido por outra fonte (2) Definido pelo mercado (geralmente expresso por taxas de financiamentos/empréstimos)

Cálculo do EVA

Cálculo do EVA
Estrutura do Balanço Patrimonial
DRE Simplicado ($)
 
Cálculo da ROI[5]
Ativo Total (Investimentos)
= $ 100.000
Receitas
(-) Custos
150.000
( 80.000)
 
ROI = Lucro Oper (-) IR /
Investimentos
Passivo Total   
Patrimônio Líquido         
=  $  60.000
=  $  40.000

Lucro Bruto
(-) Despesas
70.000
( 30.000)
 
ROI = $ 40.000 - 25,0% /
% 100.000
   
Lucro Operacional1
Imposto de Renda 2

NOPAT (1-2)[6]
40.000
( 10.000)

30.000
 
ROI = $ 30.000 / $ 100.000
ROI = 30,0%
           



EVA$ - EVA em valores Absolutos
  EVA% - EVA em valores percentuais
EVA$ = ( ROI - WACC ) x Investimentos
EVA% = ROI - WACC
EVA$ = ( 30,0% - 16,2% ) x 100.000
EVA% = 30,0% - 16,2%
EVA$ = 13,80 % x 100.000
EVA% = 13,80% ( ROI Residual)
EVA$ =  $ 18.000
 



Referências

  1. A medida de performance EVA é uma Marca Registrada da Stern Stewart Co.
  2. SHAKED, I.; MICHEL, Creating value through EVA - New York: Booz Alllen & Hamilton, Ed. 4 - 1997, Pag 41-42
  3. MALVESSI, Oscar. Criação de Valor ao Acionista, Revista Conjuntura Econômica. FGV v.54 n.1 p. 42-44
  4. Stern & Stewart Company ( 1991, p. 77-350), BLANCO, Odacir Borges - FARGS, 2002 CDU 330.143,2 - p.30- 40
  5. ROI: É uma medida de natureza contábil e, em sua forma original, tem como denominador do quociente o valor do ativo. Veja ROI
  6. NOPAT : Net Operating Profit After Taxes, é o Lucro Operacional excluindo encargos financeiros e despesas/receitas não operacionais (sem endividamento, somente o Capital Próprio

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • BLANCO, Odacir Borges- Criação de Valor ao Acionista, Porto Alegre, FARGS, 2002 - CDU 330.143,2
  • STEWART, G B III. The Quest for Value. Harper Business. 1991. p. 77-350