AZD1222

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Vacina Oxford–AstraZeneca contra COVID-19

A vacina Oxford–AstraZeneca contra COVID-19, codinome AZD1222,[1] e vendida sob as marcas Covishield[2] e Vaxzevria,[3][4] entre outras, é uma vacina de vetor viral para prevenção da COVID-19. Desenvolvida no Reino Unido pela Universidade de Oxford e pela empresa anglo-sueca AstraZeneca,[5][6][7] usando como vetor o adenovírus de chimpanzé modificado ChAdOx1.[8] A vacina é administrada por injeção intramuscular. Estudos realizados em 2020 mostraram que a eficácia da vacina é de 76,0% na prevenção da COVID-19 sintomática começando 22 dias após a primeira dose e 81,3% após a segunda dose.[9]

A vacina é estável em temperaturas de geladeira e tem um bom perfil de segurança, com efeitos colaterais que incluem dor no local da injeção, dor de cabeça e náusea, todos geralmente desaparecendo em poucos dias.[10] Mais raramente, pode ocorrer anafilaxia; a Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos de Saúde do Reino Unido (MHRA) tem 268 relatórios de cerca de 21,2 milhões de vacinações.[10] Em casos muito raros (cerca de 1 em 100 mil pessoas), a vacina foi associada a um risco aumentado de coágulos sanguíneos quando em combinação com baixos níveis de plaquetas no sangue (eventos embólicos e trombóticos após a vacinação contra COVID-19).[11][3] De acordo com a Agência Europeia de Medicamentos, até 4 de abril de 2021 um total de 222 casos de coágulos sanguíneos extremamente raros foram registrados entre 34 milhões de pessoas que foram vacinadas no Espaço Econômico Europeu (uma porcentagem de 0,0007%).[12]

Em 30 de dezembro de 2020, a vacina foi aprovada pela primeira vez para uso no programa de vacinação do Reino Unido,[13][14] e a primeira vacinação fora de um estudo foi administrada em 4 de janeiro de 2021.[15] A vacina já foi aprovada por várias agências de medicamentos em todo o mundo e foi aprovada para uma Lista de Uso de Emergência pela Organização Mundial da Saúde (OMS).[16] Em janeiro de 2022, mais de 2,5 bilhões de doses da vacina foram liberadas para mais de 170 países em todo o mundo.[17] Alguns países limitaram seu uso a idosos com maior risco de doença grave por COVID-19 devido a preocupações com os efeitos colaterais muito raros da vacina em indivíduos mais jovens.[18]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «AstraZeneca COVID-19 Vaccine (AZD1222)» (PDF). AstraZeneca. 27 de janeiro de 2021. Consultado em 7 de março de 2021. Arquivado do original (PDF) em 27 de janeiro de 2021 
  2. «Covishield and Covaxin: What we know about India's Covid-19 vaccines». BBC News. 4 de março de 2021. Consultado em 8 de março de 2021. Arquivado do original em 7 de março de 2021 
  3. a b «Vaxzevria (previously COVID-19 Vaccine AstraZeneca) EPAR». European Medicines Agency (EMA). Consultado em 27 de março de 2021. Arquivado do original em 21 de abril de 2021  Text was copied from this source which is © European Medicines Agency. Reproduction is authorized provided the source is acknowledged.
  4. «AstraZeneca vaccine renamed 'Vaxzevria'». The Brussels Times. 30 de março de 2021. Consultado em 6 de abril de 2021. Arquivado do original em 31 de março de 2021 
  5. «Investigating a Vaccine Against COVID-19». ClinicalTrials.gov (Registry). United States National Library of Medicine. 26 de maio de 2020. NCT04400838. Consultado em 14 de julho de 2020. Arquivado do original em 11 de outubro de 2020 
  6. «A Phase 2/3 study to determine the efficacy, safety and immunogenicity of the candidate Coronavirus Disease (COVID-19) vaccine ChAdOx1 nCoV-19». EU Clinical Trials Register (Registry). União Europeia. 21 de abril de 2020. EudraCT 2020-001228-32. Consultado em 3 de agosto de 2020. Arquivado do original em 5 de outubro de 2020 
  7. O'Reilly P (Maio de 2020). «A Phase III study to investigate a vaccine against COVID-19». ISRCTN (Registry). doi:10.1186/ISRCTN89951424Acessível livremente. ISRCTN89951424 
  8. Voysey M, Clemens SA, Madhi SA, Weckx LY, Folegatti PM, Aley PK, Angus B, Baillie VL, Barnabas SL, Bhorat QE, Bibi S, Briner C, Cicconi P, Collins AM, Colin-Jones R, Cutland CL, Darton TC, Dheda K, Duncan CJ, Emary KR, Ewer KJ, Fairlie L, Faust SN, Feng S, Ferreira DM, Finn A, Goodman AL, Green CM, Green CA, Heath PT, Hill C, Hill H, Hirsch I, Hodgson SH, Izu A, Jackson S, Jenkin D, Joe CC, Kerridge S, Koen A, Kwatra G, Lazarus R, Lawrie AM, Lelliott A, Libri V, Lillie PJ, Mallory R, Mendes AV, Milan EP, Minassian AM, McGregor A, Morrison H, Mujadidi YF, Nana A, O'Reilly PJ, Padayachee SD, Pittella A, Plested E, Pollock KM, Ramasamy MN, Rhead S, Schwarzbold AV, Singh N, Smith A, Song R, Snape MD, Sprinz E, Sutherland RK, Tarrant R, Thomson EC, Török ME, Toshner M, Turner DP, Vekemans J, Villafana TL, Watson ME, Williams CJ, Douglas AD, Hill AV, Lambe T, Gilbert SC, Pollard AJ (Janeiro de 2021). «Safety and efficacy of the ChAdOx1 nCoV-19 vaccine (AZD1222) against SARS-CoV-2: an interim analysis of four randomised controlled trials in Brazil, South Africa, and the UK». Lancet. 397 (10269): 99–111. ISSN 0140-6736. PMC 7723445Acessível livremente. PMID 33306989 Verifique |pmid= (ajuda). doi:10.1016/S0140-6736(20)32661-1 
  9. Voysey M, Costa Clemens SA, Madhi SA, Weckx LY, Folegatti PM, Aley PK, et al. (fevereiro de 2021). «Single-dose administration and the influence of the timing of the booster dose on immunogenicity and efficacy of ChAdOx1 nCoV-19 (AZD1222) vaccine: a pooled analysis of four randomised trials». Lancet. 397 (10277): 881–891. PMC 7894131Acessível livremente. doi:10.1016/S0140-6736(21)00432-3Acessível livremente 
  10. a b «Coronavirus Vaccine : Summary of Yellow Card reporting» (PDF). Arquivado do original (PDF) em 16 de março de 2021. It is known from the clinical trials that the more common side effects for both vaccines can occur at a rate of more than one in 10 doses (for example, local reactions or symptoms resembling transient flu-like symptoms) 
  11. «AstraZeneca's COVID-19 vaccine: benefits and risks in context». European Medicines Agency (EMA) (Nota de imprensa). 23 de abril de 2021. Consultado em 23 de abril de 2021. Arquivado do original em 23 de abril de 2021 
  12. «AstraZeneca's COVID-19 vaccine: EMA finds possible link to very rare cases of unusual blood clots with low platelets». European Medicines Agency (EMA) (Nota de imprensa). 7 de abril de 2021. Consultado em 9 de abril de 2021. Arquivado do original em 20 de maio de 2021 
  13. «Covid-19: Oxford-AstraZeneca coronavirus vaccine approved for use in UK». BBC News Online. 30 de dezembro de 2020. Consultado em 30 de dezembro de 2020. Arquivado do original em 30 de dezembro de 2020 
  14. «Second COVID-19 vaccine authorised by medicines regulator». GOV.UK (Nota de imprensa). 30 de dezembro de 2020. Consultado em 6 de março de 2021. Arquivado do original em 15 de março de 2021 
  15. «Covid: Brian Pinker, 82, first to get Oxford-AstraZeneca vaccine». BBC News Online. 4 de janeiro de 2021. Consultado em 4 de janeiro de 2021. Arquivado do original em 18 de abril de 2021 
  16. «Coronavirus disease (COVID-19): Vaccines». Organização Mundial da Saúde. Consultado em 6 de março de 2021. Arquivado do original em 18 de dezembro de 2020 
  17. «One year anniversary of UK deploying Oxford-AstraZeneca vaccine». gov.uk. Consultado em 4 de janeiro de 2022 
  18. «Spain, Belgium and Italy restrict AstraZeneca Covid vaccine to older people». The Guardian. 8 de abril de 2021. Consultado em 11 de abril de 2021. Arquivado do original em 9 de abril de 2021 
Ícone de esboço Este artigo sobre medicina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.