Saltar para o conteúdo

Abdalaque I

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
 Nota: Para outros significados, veja Abdalaque.
Abdalaque I
Líder dos Benamerim
Reinado Ca. 1195-1217
Sucessor(a) Abuçaíde Otomão I
 
Morte 1217
Cônjuge Um Alimane binte Ali Albetari[1]
Descendência
Casa merínida
Pai Abu Calide Maiu ibne Abu Becre[2]
Religião Islão

Abu Maomé Abdalaque I,[3] Abde Alhaque I,[4] ou Abde Alaque I[3] (em árabe: أبو محمد عبد الحق; romaniz.: Abū Muḥammad ʿAbd al-Ḥaqq) foi o primeiro chefe conhecido dos Benamerim (merínidas), a dinastia que fundaria o Império Merínida (no atual Marrocos) de cerca de 1195 até 1217.[5] Foi sucedido por seu filho Abuçaíde Otomão I (r. 1217–1240).[6]

Os Benamerim (merínidas) eram uma tribo berbere zeneta seminômade que no século XII praticava a transumância na região entre Figuigue e o rio Mulucha, onde hoje é o leste do Marrocos.[7] Ao contrário de muitas tribos zenetas na região, não se juntaram aos almóadas quando conquistaram o Magrebe. Mais tarde, seu chefe Muiu lutou ao lado dos almóadas e participou da Batalha de Alarcos em 1195, onde morreu devido aos ferimentos. Posteriormente, a liderança da tribo passou para Abdalaque I,[8] que foi descrito como um asceta muçulmano.[9] Os almóadas sofreram severa derrota contra os reinos cristãos da Península Ibérica em 16 de julho de 1212 na Batalha de Navas de Tolosa. A grande perda de vidas deixou o Califado Almóada enfraquecido e algumas de suas regiões um tanto despovoadas.[7] Logo depois, em 1213/14,[10] os merínidas aproveitaram a situação e entraram com força nas terras cultivadas do nordeste do Marrocos, sob a liderança de Abdalaque. Progressivamente ocuparam terras até a região do Rife, forçando assentamentos e cidades a lhes pagarem impostos.[7] Supostamente os exércitos califais de Abu Iacube Iúçufe II (r. 1213–1223/24) os enfrentaram numa batalha às margens do rio Nacur em 1216, mas a julgar pela pouca fiabilidade das fontes que atestam o conflito, é possível que essa batalha não tenha ocorrido.[9] Em 1217, um exército almóada, unido pelos árabes Banu Riá, derrotou Abdalaque em batalha. Abdalaque foi morto e os merínidas foram repelidos da região por um tempo.[8] A liderança dos merínidas passou para o filho do falecido, Abuçaíde Otomão I.[11]

Referências

  1. Alfasi 1860, p. 425.
  2. Alfasi 1860, p. 405.
  3. a b Serrão 1992, p. 4.
  4. Coelho 1989, p. 101.
  5. ibne Batuta 1958, p. 9.
  6. Garcin 1995, p. 51.
  7. a b c Khaneboubi 2010.
  8. a b Abun-Nasr 1987, p. 103.
  9. a b Mediano 2010, p. 108.
  10. Shatzmiller 2012, p. 571.
  11. Bosworth 2004, p. 41.
  • Abun-Nasr, Jamil M. (1987). A History of the Maghrib in the Islamic Period. Cambrígia: Imprensa da Universidade de Cambrígia. ISBN 978-0-521-33184-5 
  • Alfasi, Ali ibne Abedalá ibne Abi Zar; Algarnati, Sale ibne Abde Alhalim (1860). Roudh el-Kartas: Histoire des souverains du Maghreb (Espagne et Maroc) et annales de la ville de Fès. Paris: Imprensa Imperial 
  • Bosworth, Clifford Edmund (2004). The new Islamic dynasties: a chronological and genealogical manual. Edimburgo: Imprensa da Universidade de Edimburgo 
  • Coelho, António Borges (1989). Portugal na Espanha Árabe: História. Lisboa: Editorial Caminho. ISBN 9722104209 
  • ibne Batuta, Hamilton Alexander Rosskeen (1958). Gibb, ed. The Travels of Ibn Baṭṭūṭa A.D. 1325-1354. Cambrígia: Sociedade Hakluyt 
  • Garcin, Jean-Claude (1995). Etats, sociétés et cultures du monde musulman médiéval: L'évolution politique et sociale. Paris: Imprensas Universidades de França 
  • Mediano, Fernando Rodríguez (2010). «4 . The post Almohad dynasties in al Andalus and the Maghrib (seventh ninth/thirteenth !fteenth centuries)». In: Fierro, Maribel. The New Cambridge History of Islam. II: The Western Islamic World Eleventh to Eighteenth Centuries. Cambrígia: Imprensa da Universidade de Cambrígia 
  • Serrão, Joel (1992). «Abdalaque ou Abde Alaque». Dicionário de História de Portugal. 1. Porto: Livraria Figueirinhas e Iniciativas Editoriais. 3500 páginas 
  • Shatzmiller, Maya (2012). «Marīnids». In: Bearman, P.; Bianquis, Th.; Bosworth, C.E.; van Donzel, E.; Heinrichs, W.P. The Encyclopaedia of Islam. Vol. VI - Mahk-Mid. Leida e Nova Iorque: Brill