Abu Kamil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Abu Kamil
Nascimento 850
Egito
Morte 930 (80 anos)
Desconhecido
Cidadania Egito
Ocupação matemático
Religião Islã

Abu Kamil (em árabe: ابو كامل, de nome completo Abu Kamil Schudscha ibn Aslam ibn Muhammad ibn Schudscha (ca. 850 – ca. 930), foi um matemático árabe. É natural provavelmente do Egito, sendo desconhecidos mais dados biográficos seus. Foi chamado de al-Hasib al-Misri, "o computador egípcio".[1]

Termos de raiz[editar | editar código-fonte]

Encontrou relações gerais entre expressões em raiz, incluindo aquelas nas seguintes equações, que foram estabelecidas por ele e confirmadas por meio das fórmulas binomiais.

ou

Álgebra[editar | editar código-fonte]

Abu Kamil escreveu vários trabalhos matemáticos. Em sua álgebra (Al-Kitab al-jabr wa’l-muqabala) continuou a álgebra de al-Khwarizmi. O livro contém 111 páginas em fólio na única versão árabe sobrevivente do século XIII preservada atualmente em Istambul (MS 379 [19046] da coleção Kara Muṣṭafā Paşa na Biblioteca Beyazit). Traduções em latim e uma tradução hebraica estabeleceram o efeito duradouro desse escrito. A álgebra foi usada por Leonardo Fibonacci e Al-Karaji.

Outras obras[editar | editar código-fonte]

"O Livro das Raridades da Aritmética" contém seis problemas distintos que levam a sistemas de equações lineares e requerem soluções inteiras ou fracionárias.

Além disso um trabalho de agrimensura Abu Kamil também foi preservado. Outras obras matemáticas são conhecidas pelo título, mas não foram preservadas.

Edições[editar | editar código-fonte]

  • Sami Chalhoub: Die Algebra: Kitab al-Gabr wal-muqabala des Abu Kamil Soga ibn Aslam. Aleppo, 2004.
  • Martin Levey: The algebra of Abū Kāmil: Kitāb fī al-Jabr wa'l-muqābala / in a commentary by Mordechai Finzi (em hebraico com tradução em inglês), Madison: University of Wisconsin Press, 1966.
  • L.C. Karpinski: Das Buch der Seltenheiten der Rechenkunst von Abu Kamil al Misri, (tradução em alemão) in: Bibl. math. 12 (1911)/12 p. 40–55.
  • Roshdi Rashed: Abu Kamil: Algèbre et analyse diophantienne. Édition, traduction, commentaire historique et mathématique. Berlim: De Gruyter 2012.
  • Jacques Sesiano: Abū Kāmil's Book on Mensuration, in: N. Sidoli e G. Van Brummelen (Eds.), From Alexandria, Through Baghdad, Surveys and Studies in the Ancient Greek and Medieval Islamic Mathematical Sciences in Honor of J.L. Berggren, Heidelberg: Springer Verlag, 2014, p. 359–408.
  • Josef Weinberg: Die Algebra des Abū Kāmil Sogā ben Aslam, Dissertation in München an der Philosophischen II. Sektion, Munique, 1935..[2]

Referências

  1. Sesiano, Jacques (2000). «Islamic mathematics». In: Selin, Helaine; D'Ambrosio, Ubiratàn. Mathematics Across Cultures: The History of Non-Western Mathematics. Springer. p. 148. ISBN 1-4020-0260-2 
  2. Zur Bedeutung dieser Arbeit: „The algebra of ABO KAMIL SHUJA' (c. 900) [..] is now available in a German translation made by Dr. JOSEF WEINBERG from the Hebrew version of MORDECAI FINZI (c. I470). ABO KAMIL's work is of great importance for the history of algebra and deserves further investigation. ABO KAMIL SHUJA had deeply influenced LEONARDO FIBONACCI (c. I2oo) and through him mediaeval mathematics in general. He is the first known to us to relate Oriental algebra to Greek geometry, by referring to EUCLID, II 5-6, as furnishing the demonstration for the solution of the quadratic equations.“ (Geschichte der Elementar-Mathematik by Johannes Tropfke Arquivado em 14 de julho de 2018, no Wayback Machine.)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]