Abu Nidal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Abu Nidal (أبو نضال)
Abu Nidal numa imagem liberada em 1976
Nome completo Sabri Khalil al-Banna (صبري خليل البنا)
Nascimento maio de 1937
Territórios palestinos Jaffa, Palestina mandatária
Morte 16 de agosto de 2002 (65 anos)
Iraque Bagdá, Iraque
Nacionalidade Palestino
Etnia Árabe
Progenitores Pai: Hajj Khalil al-Banna
Cônjuge Hiyam al-Bita
Filho(s) Um filho, duas filhas
Alma mater Universidade do Cairo
Ocupação Militante, mercenário

Sabri Khalil al-Banna, Amin al-Sirr ou Sabri Khalil Abd Al Qadir, mais conhecido por seu nome de guerra, Abu Nidal (em árabe: أبو نضال, 'pai da luta'; Jaffa, Palestina mandatária, maio de 1937 - Bagdad, 16 de agosto de 2002), foi um líder político palestino. Foi considerado terrorista no Canadá, nos Estados Unidos, na União Europeia e no Reino Unido.

Em setembro de 1974, fundou a organização Fatah-Conselho Revolucionário (Fatah-CR), que integrava a Frente Rejeicionista palestina. Agindo de maneira independente, o grupo de Abu Nidal foi acusado de realizar ataques em 20 países, matando cerca de 300 pessoas e ferindo mais de 600, desde as décadas de 1970 e 1980 até a segunda metade da década de 1990.[1][2][3] Dentre esses ataques, destacam-se os atentados aos aeroportos de Roma e de Viena em 27 de dezembro de 1985, quando atiradores abriram fogo contra os passageiros, nos balcões da El Al, matando 20 pessoas.[4][5]

Abu Nidal morreu baleado em seu apartamento de Bagdad, em agosto de 2002. Fontes palestinas afirmaram que ele havia sido morto por ordens de Saddam Hussein, enquanto fontes oficiais iraquianas informaram que ele cometera suicídio durante um interrogatório.[6][7] "Ele era um patriota que se tornou psicopata," escreveu jornalista David Hirst no Guardian, ao comentar a morte de Abu Nidal. "Ele serviu apenas a si próprio, apenas aos impulsos pessoais pervertidos que o empurraram para o crime hediondo. Em última análise, ele era um mercenário."[8]

Referências

  1. Jonathan C. Randal, "Abu Nidal Battles Dissidents", The Washington Post, 10 de junho de 1990.
  2. Rex A. Hudson, "The Sociology and Psychology of Terrorism: Who Becomes a Terrorist and Why?", Federal Research Division, Library of Congress, September 1999, 97.
  3. "Abu Nidal Organization (ANO)", United States Department of State, junho de 2004.
  4. Roberto Suro, "Palestinian Gets 30 Years for Rome Airport Attack", The New York Times, 13 de fevereiro de 1988.
  5. O inimigo de todo mundo. Morre no Iraque o superterrorista Abu Nidal, precursor da brutalidade insana de Bin Laden. Revista Época.
  6. Brian Whitaker, "Mystery of Abu Nidal's death deepens", The Guardian, 22 de agosto de 2002.
  7. Robert Fisk, "Abu Nidal, notorious Palestinian mercenary, 'was a US spy'", The Independent, 25 de outubro de 2008.
  8. "Abu Nidal". Por David Hirst. The Guardian, 20 de agosto 2002.


Ícone de esboço Este artigo sobre a Palestina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.