Agaricus arvensis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Como ler uma infocaixa de taxonomiaAgaricus arvensis
Pieczarka polowa vongrzanka.JPG
Classificação científica
Reino: Fungi
Filo: Basidiomycota
Classe: Agaricomycetes
Ordem: Agaricales
Família: Agaricaceae
Género: Agaricus
Espécie: A. arvensis
Nome binomial
Agaricus arvensis
Schaeff.

Agaricus arvensis, vulgarmente conhecido como cogumelo do cavalo, é um fungo do género Agaricus. É um cogumelo comestível e não apresenta características venenosas. É uma espécie saprotrófica e o seu estado de conservação é pouco preocupante.

Taxonomia[editar | editar código-fonte]

Agaricus arvensis foi descrito pela primeira vez em 1762 por Jacob Christian Schaeffer. Desde então tem sido designado por outros nomes binomiais, sendo o actual e mais aceitado arvensis, que significa "do campo".

Morfologia[editar | editar código-fonte]

O píleo é bastante similar ao do Agaricus campestris. Quando jovem, apresenta uma forma esférica e globosa, que se vai tonando convexo com a idade. O seu diâmetro varia entre os 5 e os 20 cm. A sua cor é inicialmente branca e vai progredindo para tons de amarelo e branco-amarelado. Embora numa menor intensidade do que o A. xanthodermus, também pode apresentar uma cor amarela quando tocado ou cortado. As lamelas começam por ser brancas (quando são jovens, os A. arvensis tendem a ser confundidos com algumas das espécies mais tóxicas do género Amanita), e ao longo da idade passam por tons de cor-de-rosa até atingir os castanhos. Apresenta um cheiro que é muitas vezes descrito como sendo igual ao do anis.[1][2][3] [4]

Espécies similares[editar | editar código-fonte]

Os A.arvensis podem ser normalmente confundidos com as seguintes espécies de cogumelos:

Exemplar de A. xanthodermus, confundido muitas vezes com oA. arvensis, pode ser distinguido pela forte coloração amarela na base quando cortada.
  • Agaricus osecanus: Esta espécie é mais rara do que os A. arvensis, e não tem o cheiro a anis.[5]
  • Agaricus xanthodermus: Quando cortado exibe uma reacção muito mais intensa ao apresentar uma cor amarelada na base, e quando ingerido provoca distúrbios intestinais.
  • Agaricus silvicola: Também é comestível, mas é uma espécie mais arborícola.
  • Agaricus campestris: É comestível, mas é geralmente (nem sempre) menor do que os A. arvensis.
  • Agaricus bisporus: É o cogumelo mais cultivado e mais comum entre os Agaricus.

Distribuição geográfica e habitat[editar | editar código-fonte]

Podemos encontrar A. arvensis em grandes números na Grã-Bretanha, América do Norte, oeste da Ásia e um pouco por toda a Europa (em Portugal podemos encontrar alguns exemplares na zona de Setúbal, Santarém, Viseu, etc.), visto que é das maiores espécies da ordem Agaricus.[6]

Comestibilidade[editar | editar código-fonte]

Esta espécie é bastante apreciada por agricultores, sendo hoje considerada uma das espécies de fungos mais utilizadas na cozinha. Porém, os espécimens que crescem em locais muito poluídos podem ter concentrações algo perigosas de metais pesados tais como o cobre e o cádmio.[7]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Meinhard Moser; Geoffrey Kibby (1983). Keys to agarics and boleti: Polyporales, Boletales, Agaricales, Russulales. [S.l.: s.n.] 535 páginas 
  2. Courtecuisse; Duhem (1994). Guide des champignons de France et d'Europe. [S.l.]: Delachaux&Niestle. 476 páginas 
  3. http://naturdata.com/Agaricus-arvensis-38018.htm
  4. Miller,Orson (1984). Mushrooms of North America. [S.l.]: New York E.P. 
  5. Roger Phillips; Drek A. Reid (2006). Mushrooms. [S.l.]: London Macmillan. 384 páginas 
  6. Asef Shayan MR. (2010). قارچهای سمی ایران (Qarch-ha-ye Sammi-ye Iran) [Poisonous mushrooms of Iran] (em persa). [S.l.]: Iran shenasi. p. 214. ISBN 978-964-2725-29-8 
  7. «Cópia arquivada». Consultado em 2 de julho de 2012. Arquivado do original em 18 de março de 2013