Al Fujayrah

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Al Fujayrah
Bandeira oficial de Al Fujayrah
Bandeira
UAE en-map.png
País  Emirados Árabes Unidos
Emirado Al Fujayrah
Emir Shaikh Hamad bin Mohammed Al Sharqi
Área  
  Total 1166 km²
População  
  Cidade (2006) 130.000
   -Densidade metropolitana   1150/km²
Fuso horário Dubai Standard Time (UTC+4)
Website: [http://Fujairah Fujairah]

Fujairah ou Fujeira (árabe: الفجيرة) é um dos sete emirados que compõem os Emirados Árabes Unidos, no Golfo de Omã no leste do país, sendo o segundo mais pequeno.

Geografia[editar | editar código-fonte]

O Emirado de Fujairah cobre 1150 quilómetros quadrados, ou seja, cerca de 1,5% da superfície dos EAU. A sua população é de cerca de 130.000 habitantes. Apenas o Emirado de Umm al-Quwain tem menos ocupantes. Fujairah é o único Emirado que é quase totalmente montanhoso. Todos os outros Emirados, como Dubai e Abu Dhabi estão localizados na costa oeste, e são em grande parte abrangidos pelo deserto. Portanto, Fujairah ostenta uma média anual superior de chuva, permitindo que os agricultores da região tenham colheitas significativas todos os anos.

O clima é sazonal, embora seja quente quase todo o ano. Os meses de Outubro a Março são geralmente considerados como os mais amenos, com temperaturas médias em torno de 25 °C diurnos e raramente chegam acima dos 30 °C, no Verão chegam aos 40 °C. O Inverno também coincide com o período chuvoso. A precipitação é superior ao resto dos EAU (Emirados Árabes Unidos, na sigla) em parte por causa do efeito das montanhas que rodeiam o Emirado, e em parte porque os ventos predominantes são de oeste, trazendo com eles água em carga ao largo das nuvens quentes do Oceano Índico.

A variabilidade do clima da costa leste é, em parte devido à presença da cordilheira Hajjar. Tal como acontece com outras áreas montanhosas, a precipitação é maior e isso permite um dos mais variados micro-ambientes na região. Os turistas podem, assim, admirar a singularidade de Fujairah, com picos de visitantes pouco antes dos meses de escola, no Verão.

Governo[editar | editar código-fonte]

Poder é, em última análise, realizado pelo governante (Shaikh) de Fujairah, Shaikh Hamad bin Mohammed Al Sharqi, que esteve no poder desde a morte de seu pai, em 1974. O Shaikh supostamente faz o seu próprio dinheiro através de negócios e, os fundos do governo são usados para o desenvolvimento da habitação social e embelezamento da cidade, embora haja pouca diferença entre o estado e a sua riqueza pessoal. Qualquer decisão sobre qualquer aspecto da lei pode ser feita pelo governante, apesar das leis federais nunca serem revogadas. Porém, importa salientar que o governante do Emirado pode optar por operar numa forma completamente autónoma (ou autônoma, no português do Brasil) .

O Gabinete de Fujairah é chefiado pelo Shaikh e pela sua família imediata, com alguns membros de famílias locais tornando-se respeitados nos comités consultivos. Qualquer decisão do Gabinete deve ser ratificada pelo Shaikh, após o que poderá ser promulgada em lei como decreto Emiri. Os Decretos geralmente são eficazes, imediatamente e sem a devida consulta pública nos processos, às vezes podendo ser confusos, não negligenciáveis, causando consternação entre os habitantes da cidade.

Terreno[editar | editar código-fonte]

Os estrangeiros ou visitantes não estão autorizados a comprar terras. Os naturais do Emirado podem comprar terras por parte do governo, depois de provar a sua nacionalidade, que normalmente é o método menos dispendioso. Se não houver uma terra adequada disponível, através dos oficiais dos gabinetes governamentais, as compras privadas também podem ser feitas, com o eventual preço a ser determinado pelo mercado e os próprios indivíduos.

Economia[editar | editar código-fonte]

A economia baseia-se em torno de subsídios e subvenções do governo federal, distribuídos pelo Governo de Abu Dhabi (a sede do poder no EAU). Indústria local consiste na produção de cimento, pedra de britagem e mineração. Estas indústrias têm testemunhado um crescimento devido á frenética actividade de construção a ter lugar em Dubai, a potência comercial do país. Notavelmente, existe uma próspera zona de comércio livre (http://www.fujairahfreezone.com), mimetizando o sucesso do Dubai na Free Zone Authority (Zona de Autoridade Livre) (http://www.jafza.ae), que foi criada em torno do Porto de Jebel Ali, o centro de actividade portuária marítima na região desde a década de oitenta. Ele tem testemunhado um crescimento exponencial, a partir de 2003, levando a uma expansão do projecto que iria duplicar a sua capacidade.

Os departamentos Federais do governo empregam a maioria dos trabalhadores nativos (local), com pouca abertura dos seus próprios negócios, e muitos dos cidadãos locais (também designado por habitantes locais) trabalham no sector dos serviços. O governo impõe em Fujairah, rigorosas leis comerciais que proíbem estrangeiros de possuir mais de 49% de qualquer negócio ou empresa. Algumas das razões pelas quais as autoridades tenham florescido na zona livre de tal forma, deve-se ao abrandamento desta regra dentro das suas fronteiras, permitindo plena propriedade estrangeira. Shaikh Saleh Al Sharqi, irmão mais novo do Shaikh, é amplamente reconhecido como a força motriz por detrás da mercantilização da economia.

O desemprego, no entanto, continua a ser uma grande preocupação para o governo. Os números colocam a taxa de desemprego em cerca de 50% - 60%, que é das mais elevadas do mundo. Há um receio de que, sem uma acção decisiva e afirmativa, existe um risco real de que a apatia e o descontentamento poderia-se espalhar entre os jovens, o que poderá revelar-se extremamente volátil na situação para futuras administrações.

Pobres salários também são um problema em Fujairah, com trabalhadores na construção, na parte inferior da pirâmide. Em média, as 12 horas de trabalho por dia, com início às 7 horas da manhã e terminando às 20h, só irá proporcionar cerca E.U. $ 5 - E.U. $ 10, dos quais os trabalhadores pagam as refeições, transporte e entretenimento. Algumas empresas pagam aos trabalhadores por dia e algumas delas por mês. Depende da empresa que trabalham para e sobre os próprios trabalhadores (se trabalhar o tempo todo para que eles eram atribuídos). As empresas raramente pagam para os trabalhadores na área da saúde e estes são, portanto, responsáveis pelo financiamento das suas visitasa ao hospital, sempre que o governo não subsidia.

Desenvolvimentos futuros[editar | editar código-fonte]

O presente Shaikh está planeando fazer mudanças que irão afetar Fujairah no futuro.Entre outros projectos na calha do turismo é um resort $ 817m, o Paraíso de Al Fujairah, perto de Dibba, no norte da fronteira com Omã, ao lado de Le Meridien Al Aqah Beach Resort. Haverá cerca de 1000 villas cinco estrelas, bem como hotéis, e espera-se que toda a construção e o trabalho esteja concluído no prazo de dois anos.

O Shaikh está a tentar melhorar as oportunidades para os trabalhadores locais, no sentido de tentar aliciar as empresas a localizarem-se em Fujairah e desviar fundos federais para as empresas locais sob a forma de projectos de desenvolvimento.

Recentemente "Pipeline Abu Dhabi-Fujairah" anunciou que iria criar um terminal de exportação de petróleo do emirado.

Saúde[editar | editar código-fonte]

A saúde é entregue através de um sistema misto de público e privado. Os habitantes locais são tratados livremente dentro dos hospitais do governo federal, ao passo que os estrangeiros têm de pagar por este serviço. Os hospitais federais são financiados pelo Governo de Abu Dhabi, que retira dinheiro dos seus vastos rendimentos do petróleo, para subsidiar os cuidados médicos dos seus próprios cidadãos. No entanto, existem problemas relacionados com o novo sistema, como alguns estarem preocupados com o facto de o governo não fornecer cuidados de saúde suficientes para os estratos mais baixos da sociedade, que têm de pagar para salvar vidas nos tratamento.

O governo construiu muitas clínicas, conhecido localmente como "casas médicas", por exemplo, Madena Medical House (em Madab), Moresheed Medical House (em Moresheed). Estas clínicas aliviam a carga sobre os principais Hospitais da cidade, autorizando a pré-nomeações e fornecendo importantes auxiliares de serviços médicos. Estas clínicas revelaram-se um sucesso, com a população local abraçando-as.

O Chefe de Cirurgia e Medicina de Emergência, Dr. SC Gautam, é reconhecido como o protagonista por trás da modernização do sistema de saúde no Fujairah, e com a elevação dos padrões de cirurgia e de cuidados médicos de emergência dentro dos Emirados Árabes Unidos. Dr. Gautam é o diretor da avançada Trauma Life Support, programa nos EAU, tendo introduzido-a como uma medida de emergência para melhorar o tratamento e as taxas de sobrevivência entre os milhares de pacientes com trauma internados em todo o país, todos os anos.

GMC Hospital (http://www.gmchospital.com) é a maior facilidade de cuidados de saúde privados em Fujairah, que oferece diferentes tipos de serviços médicos. Tem um serviço de emergência, operação de teatro, farmácias e clínicas ambulatoriais de diferentes categorias. Está localizado próximo ao Ahli Club.

Educação[editar | editar código-fonte]

Existem muitas escolas do governo de Fujairah, que são principalmente para pessoas naturais do Emirado, ao lado de alguns números de residentes árabes. Além de escolas do governo, há também muitas escolas privadas, e devido à maioria da população do Emirado ser do subcontinente indiano, a maioria das escolas privadas seguem o indiano CBSE (Central Board of Secondary Education), credenciado pelo Central Board of Education Índia.

  • Escola Indiana de Fujairah (escola indiana);
  • Our Own English High School (escola de inglês);
  • St. Mary's Catholic High School (escola católica).

Três escolas também fornecem o Reino Unido, (General Certificate of Secondary Education). Estas escolas destinam-se a estudantes do expatriado da comunidade que desejam estudar em países ultramarinos.

  • Fujairah Private Academy, academia privada (também fornece IGCSE, A, AS Nível);
  • Our Own English High School;
  • St. Mary's Catholic High School (também fornece GCE e nível A.)

Algumas outras escolas, servindo outros expatriados também existentes na comunidade, tais como escolas paquistanesas e iranianas, educando uma minoria da população estudantil.

A escola inglesa de Fujairah, serve para as necessidades dos expatriados de muitos países, incluindo os do subcontinente. A escola segue a Central Board of Secondary Education (CBSE), em Nova Deli, na Índia e nos IGCSE (Universidade de Cambridge, Reino Unido) de KG para Grau 11/12. É parte do maior Varkey Group, que detém e gere muitas escolas em torno do EAU.

A Escola Islâmica Paquistanesa de Fujairah (PISF) foi criada em 1982 com menos de 35 alunos e aulas em cabines de madeira. A escola tem crescido substancialmente desde então e é agora, com mais de 402 alunos e os seus próprios fins, construída uma escola-edifício, por um dos líderes comunitários paquistanês das escolas no EAU.

Fujairah Academy está a pagar uma taxa na escola para meninos e meninas de 3.5-18 anos de idade. Existem actualmente cerca de 400 alunos, com 120 na secção júnior. A entrada é pela entrevista com os pais e as crianças.

Fujairah Montessory Nursery é o único pré-escolar em Fujairah. Admite crianças a partir dos 2 anos de idade, aberto das 8 às 13h e tem calendários muito flexíveis. O Montessory está localizado no edifício número 14 da "16 Edifícios".

Viagem[editar | editar código-fonte]

A viagem em redor de Fujairah e as cidades em torno de Khor Fakkan, Kalba e Masafié feita fácilmente pelo desenvolvimento de modernas rodovias ao longo dos últimos 30 anos, desde a obtenção da independência, em 1971. As rodovias são financiadas directamente pelo governo federal, e os contratos são adjudicados centralmente. Este destina-se a salvaguardar a qualidade ea entrega dos contratos e evitar a corrupção de danificando a construção. As rodovias são vitais, devido à indisponibilidade de qualquer outro meio de transporte. Existem alguns autocarros em Fujairah, mas não para as viagens, que são das escolas, colégios e algumas empresas ou que vêm de outras cidades. Não há ferrovias em Fujairah. Tal como na América, o carro e os camiões são rei nas atividades diárias, que pode se tornar impraticável, se não impossível, sem ela.

Os turistas e, por conseguinte, devem tirar proveito do sistema de táxi local. Existem numerosos táxis nas ruas, a todo o momento, dia e noite. Não existe um sistema de reservas central para empresas privadas, mas o governo está planeando aplicar um. Existe um problema e normalmente não haverá, pelo menos, um táxi, se não mais, imediatamente disponíveis para alugar. As tarifas dentro da cidade são fixadas em AED 4 por viagem, o que equivale a cerca de 80 cêntimos (USD) ou 50 pence (GBP). Destinos que estão ligeiramente fora das principais cidades, como a Praia Motel, Fujairah e do Hospital Jail, atraiem uma maior tarifa do DAE 6. É sábio para negociar o preço antes do embarque do táxi, como os condutores têm tendência para inflar os preços aleatoriamente. No entanto, convém sublinhar que a maioria dos táxis são relativamente limos e oferecem boa relação custo-benefício. Meter Taxis foram recentemente introduzidas para as estradas de Fujairah. Os metros a partir de um mínimo de 2 e AED, sobem rapidamente quando o contador é executado. Um passeio no novo, puro e bem mantido táxi agora vai custar uma média de AED 6.

O Aeroporto Internacional de Fujairah está perto da cidade, com uma impressionante estátua de um falcão na rotunda do aeroporto.

Vida em Fujairah[editar | editar código-fonte]

É regida por bem educados do Shaikh e, por conseguinte, não é arcaico com interpretações da sharia. O senso comum normalmente prevalece, mas como acontece como em qualquer lugar, é aconselhável manter-se no lado direito da lei. Em algumas sextas-feiras, pode-se ainda testemunhar cílios meted out para delitos menores, como embriaguez em público, com a infeliz vítima normalmente dos segmentos mais pobres da sociedade. Punições como estas são entregues fora do principal tribunal, localizado ao lado de Fujairah Tower, no centro da cidade.

Beber álcool é permitido nos hotéis e designados, a partir de 2000, e alguns bares. Até 1998, sob a forma de jogos de caça-níqueis (um braço de bandidos) foi autorizada, em certos hotéis, mas petições pessoais pelos habitantes locais foram banidas. Afigurou-se que alguns jogadores perderam todo o seu salário mensal sobre os slots, deixando nada para o sustento das suas famílias. A petição foi levada á esposa do Shaikh, que então influenciou o seu marido.

À noite, há uma porção que se divertiu. Fujairah é uma das cidades mais seguras do EAU. Cinemas são geralmente abertos até tarde e de versões sexuais de sucessos de Hollywood que são normalmente mostrados. Pode ser divertido para assistir a filmes, que podem ser executados após a edição de um pouco mais de uma hora. No entanto, o hindi cinemas não estão limitados pelos censores. É notório que a maioria dos espectadores são jovens do sexo masculino.

Grupos de jovens locais (Emirati) tendem a socializar juntos nas ruas e cafés ou fora dos jogos de arcadas, mini-shoppings e cinemas. Não é comum, ver mulheres nesses grupos como a sociedade é muito segregada. Grandes grupos tendem a ser besteiros e irão jogar-se se é dada a chance. Tal como acontece com grupos de jovens em qualquer lugar, o melhor é dirigir-se educadamente para evitar problemas, apesar de incidentes graves serem raros.

Nos finais de semana, muitos residentes de Fujairah viajam para Dubai para fazer compras, e a meio, no vale em torno do Emirado, para fazer campismo e caminhadas. Existe também uma invasão semanal da costa oeste por residentes tentando fugir do calor sufocante do deserto. Desportos aquáticos são muito populares entre os jovens - jet ski, windsurf e esqui aquático sendo os preferidos.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]