Alberto Massavanhane

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Este artigo ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade(desde novembro de 2012). Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Alberto Massavanhane
Nascimento 9 de fevereiro de 1930
Vila João Belo, Moçambique
Morte 29 de setembro de 1993 (63 anos)
Estocolmo, Suécia
Nacionalidade Moçambicano
Progenitores Mãe: Chonipane
Pai: Massavanhane Nhancume
Cônjuge Rosa Paulo Chadraca
Ocupação Diplomata, Autarca, Professor



Alberto Massavanhane (Vila João Belo, 9 de Fevereiro de 1930 — Estocolmo, 29 de Setembro de 1993) foi um Professor, Autarca e Diplomata Moçambicano.[1] [2] Contestatário ao Colonialismo português, disseminou os ideais nacionalistas moçambicanos enquanto Professor, tendo tido como aluno Joaquim Chissano, futuro Presidente de Moçambique. [3] Foi o primeiro Presidente de Câmara de Lourenço Marques, ainda durante o governo de transição em 1975, Presidente do Conselho Executivo (Município) de Maputo entre 1983 e 1987,[4] e esteve ligado à criação da União das Cidades Capitais Luso-Afro-Américo-Asiáticas (UCCLA)[5]. Como Embaixador, representou o seu país entre 1988 e 1993, no Reino da Suécia.[6] Faleceu no exercício das suas funções, em Estocolmo.

Vida Pessoal[editar | editar código-fonte]

Alberto Massavanhane nasceu a 9 de Fevereiro de 1930 na Vila de João Belo, Distrito de João Belo (hoje cidade de Xai-Xai, actual capital da província de Gaza, a 210 Km da capital do país - Maputo). Filho de Massavanhane Nhancume e de Chonipane, família de camponeses e pequenos criadores de gado, era o mais novo de 3 irmãos, Luís Daquene e Joaquim Nhancume. Na sua infância e adolescência, em Xai-Xai, apascentou o gado da família. Às escondidas do pai, que se recusava a permitir que os seus filhos assimilassem a cultura do colonialismo português, percorria diariamente 30 quilómetros para frequentar a escola primária em Chicumbane, uma pequena localidade junto ao rio Limpopo. Com 13 anos, foi viver com o seu irmão Joaquim, em Lourenço Marques - capital da Província colonial de Moçambique. Contraiu matrimônio religioso em 6 de Fevereiro de 1950 na Missão cristã de S. Jerónimo do Distrito de Magude aos 20 anos de idade, com Rosa Paulo Chadraca, a sexta de oito filhos de Paulo Chadraca Ngomane, professor primário da Missão de Chivonguene no Distrito de Magude e de Marta Chadraca. Constituiu com Rosa uma família numerosa com 9 filhos.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.