Alessandra Stanley

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Translation arrow.svg
Este artigo ou secção, resulta, no todo ou em parte, de uma tradução. Do artigo «Alessandra Stanley» na Wikipédia em inglês , na versão original. Você pode incluir conceitos culturais lusófonos de fontes em português com referências e inseri-las corretamente no texto ou no rodapé. Também pode continuar traduzindo ou colaborar em outras traduções. Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Alessandra Stanley
Nome completo Alessandra Stanley
Nascimento
Boston, EUA
Nacionalidade norte-americana
Parentesco Timothy W. Stanley
Ocupação Jornalista
Escola/tradição Universidade de Harvard

Alessandra Stanley é uma jornalista norte-americana nascida nos Estados Unidos. Em 2003 ela se tornou numa das crítica de televisão do The New York Times. Stanley foi previamente a co-chefe do jornal bureau de Moscovo, chefe do departamento de Roma, e como correspondente da revista Time. Ela é filha da especialista em defesa Timothy W. Stanley.[1]

Várias notícias e organizações de mídia, incluindo o Time, têm criticado a precisão dos relatórios de Stanley.[2][3][4][5][6] Entre os artigos que estes criticaram, estão inclusos um sobre o furacão Katrina publicado em 5 de Setembro de 2005, um artigo de 2005 que chamou a sitcom Everybody Loves Raymond de "Tudo sobre Raymond", e uma retrospectiva de 18 de Julho de 2009 sobre a carreira de Walter Cronkite que continha oito centros de pesquisa e erros de ortografia.[7][8][9] Em Agosto de 2009, um artigo examinando os erros no artigo de Cronkite, Clark Hoyt, o editor público do Times, descreveu Stanley como "muito admirado pelos editores pelo peso intelectual de sua cobertura da televisão", mas "com uma história de erros".[10]

Referências

  1. New York Times, 23 September 1997, Timothy W. Stanley, 69, Expert On Defense Policy and Strategies
  2. http://gawker.com/242613/abc-totally-pissed-at-alessandra-stanley
  3. http://blogs.tampabay.com/media/2009/07/why-does-nyt-critic-alessandra-stanley-get-away-with-making-so-many-errors.html
  4. Silverman, Craig (24 de julho de 2009). «Wrong, Wrong, Wrong, Wrong, Wrong, Wrong». Columbia Journalism Review. Columbia University. Consultado em 27 de julho de 2009 
  5. http://www.poynter.org/forum/view_post.asp?id=12357
  6. http://www.huffingtonpost.com/rachel-sklar/because-the-new-york-time_b_37706.html
  7. Stanley, Alessandra. Reporters Turn From Deference to Outrage, Editors' note appended, The New York Times, 5 September 2005.
  8. Stanley, Alessandra. The Unmarried and the Befuddled Are Still Good for Laughs, Correction appended, The New York Times, 21 September 2005.
  9. Cronkite’s Signature: Approachable Authority, correction appended, The New York Times
  10. Hoyt, Clark. "How Did This Happen?" The New York Times, 1 August 2009.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]