Alice Echols

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Alice Echols, 2011

Alice Echols é uma crítica cultural e historiadora.[1] Uma especialista dos anos 60, Echols é Professora de Inglês, Estudos de Gêneros e História da Universidade da Califórnia.[2]

Educação[editar | editar código-fonte]

Echols recebeu seu diploma de bacharel do Macalester College em 1973. Ela obteve seu diploma de mestrado e doutorado na Universidade de Michigan em 1980 e 1986 respectivamente.[3]

Publicações[editar | editar código-fonte]

Ela autorou (com prefácio de Ellen Willis), Daring to Be Bad: Radical Feminism in America 1967-1975.[4] ; Scars of Sweet Paradise: The Life and Times of Janis Joplin; Shaky Ground: The Sixties and Its Aftershocks; e mais recentemente, Hot Stuff: Disco and the Remaking of American Culture. Ela está atualmente trabalhando num livro sobre um escândalo bancário na era da Depressão em Colorado.

Bibliografia selecionada[editar | editar código-fonte]

  • Daring to Be Bad: Radical Feminism in America 1967-1975[4]
  • Shaky Ground: The Sixties and its Aftershocks (2002)[3]
  • Scars of Sweet Paradise: The Life and Times of Janis Joplin (1999)[5]
  • Hot Stuff: Disco and the Remaking of American Culture (2009)[3]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «The ’80s are back with ‘Transformers’» MSNBC [S.l.] 29 de Junho de 2007. Consultado em 23 de Fevereiro de 2010. 
  2. Charles, Ron (8 de Março de 2009). «On Campus, Vampires Are Besting the Beats» Washington Post [S.l.] Consultado em 23 de Fevereiro de 2010. 
  3. a b c «USC Faculty profile». University of Southern California. Consultado em 23 de Fevereiro de 2010. 
  4. a b «Lit up by her own blowtorch» Irish Times [S.l.] 25 de Março de 2000. Consultado em 23 de Fevereiro de 2010. 
  5. «Dissecting rock 'n' roll's first female superstar» CNN [S.l.] 24 de Maio de 1999. Consultado em 23 de Fevereiro de 2010.