Alonso Alegría

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Alonso Alegría (Santiago, 1940) é um dramaturgo peruano residente no Peru[1].

Nascido no Chile, mudou-se para Lima ainda criança. Fundou a companhia de teatro Alba, em 1960. Conquistou o Prêmio Casa de las Américas de melhor peça teatral em 1969 com El Cruce del Niágara, baseado na travessia do rio Niágara pelo equilibrista francês Charles Blondin, em 1879[2]. Foi diretor do Teatro Nacional Popular entre 1971 e 1978[3]Com o sucesso internacional, passou a escrever peças em língua inglesa, como Daniela Frank[4].

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Remegio al huaquero (1965)
  • El cruce sobre el Niágara (1969)
  • El terno blanco (1981)
  • El color de Chambelén (1982)
  • Cavando en la arena (1982)
  • Daniela Frank (1984)
  • Encuentro con Fausto (1999)
  • Libertad! (libreto para ópera, 2005)
  • Para morir bonito (2009)
  • Bolognesi en Arica (2013)
  • La lógica de Dios (2013)[5]

Referências

  1. Alonso Alegría. Out of the wings (em inglês)
  2. Companhia de Teatro Universidade Austral de Chile estreia obra "Niágara". Universia, 17 de agosto de 2006
  3. YOUNG, Richard; CISNEROS, Odile. Historical Dictionary of Latin American Literature and Theater. Scarecrow Press, 2010. Pág. 29 (em inglês)
  4. MORRIS, J. Alonso Alegría since The Crossing... Latin American Theatre Review,Vol. 17, No. 2: Spring 1984 (em inglês)
  5. Alonso Alegría. Quinta Pared (em espanhol)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre teatro (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.