Amores

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Amores é um livro de poesias de Ovídio escrito em dísticos elegíacos.[1] Foi publicado pela primeira vez entre 15 e 16 a.C.[2] em cinco livros, mas Ovídio por sua própria conta mais tarde editou-o na edição de três livros que sobreviveu aos dias de hoje. O livro segue o modelo popular da elegia erótica, como ficou famoso por figuras como Tibulo ou Propércio, mas é muitas vezes subversivo e humorístico com esses tropos, exagerando motivos e dispositivos comuns ao ponto do absurdo .

Enquanto vários estudiosos literários consideraram Amores de uma grande contribuição para a elegia do amor latino,[3][4] a obra geralmente não é considerada como um dos melhores trabalhos de Ovídio[5] e "são mais freqüentemente tratadas sumariamente em um prólogo em vez de uma discussão mais completa como de outros trabalhos".[6]

Referências

  1. Simon Hornblower; Antony Spawforth; Esther Eidinow (11 de setembro de 2014). The Oxford Companion to Classical Civilization. [S.l.]: OUP Oxford. p. 1130. ISBN 978-0-19-101676-9 
  2. Kathleen Morgan (1977). Ovid's Art of Imitation: Propiertius in the Amores. [S.l.]: Brill Archive. p. 5. ISBN 90-04-04858-8 
  3. Jestin, Charbra Adams; Katz, Phyllis B., eds. (2000). Ovid: Amores, Metamorphoses Selections, 2nd Edition: Amores, Metamorphoses : Selections. [S.l.]: Bolchazy-Carducci Publishers. p. xix. ISBN 1610410424 
  4. Inglehart, Jennifer; Radice, Katharine, eds. (2014). Ovid: Amores III, a Selection: 2, 4, 5, 14. [S.l.]: A&C Black. p. 9. ISBN 1472502922 
  5. Amores. Traduzido por Bishop, Tom. [S.l.]: Taylor & Francis. 2003. p. xiii. ISBN 0415967414. Os críticos repetidamente sentiram que os poemas não têm sinceridade[...] 
  6. Boyd, Barbara Weiden (1997). Ovid's Literary Loves: Influence and Innovation in the Amores. [S.l.]: University of Michigan Press. p. 4. ISBN 0472107593