Andris Piebalgs

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Andris Piebalgs
Nascimento 17 de setembro de 1957 (61 anos)
Valmiera
Cidadania Letônia, União Soviética
Alma mater Universidade da Letônia
Ocupação político, diplomata
Prêmios Ordem das Três Estrelas
Assinatura
Andris Piebalgs signature.svg

Andris Piebalgs (Valmiera, 17 de setembro de 1957) é um político letão. Foi comissário da energia da União Europeia de 1 de novembro de 2004 a 27 de novembro de 2009, quando o presidente da Comissão Europeia Durão Barroso lhe atribuiu a pasta do Desenvolvimento. É membro fundador do partido centrista Latvijas Ceļš e graduado em Física pela Universidade da Letónia.

Trajetória política[editar | editar código-fonte]

Foi membro do parlamento letão desde as primeiras eleições (1990) depois da independência da URSS e ministro da Educação, tendo que enfrentar a criação de um sistema educativo da já independente Letónia. Em 1994 foi nomeado ministro das Finanças. Entre 1995 e 1997 foi embaixador da Letónia na Estónia e a partir desse ano, Embaixador da Letónia para a UE, sendo peça-chave na adesão do seu país à UE. Em 2004 foi nomeado comissário da Energia, cargo que ocuparia até 2009, quando foi designado para a pasta do Desenvolvimento. Entre 4 de junho de 2016 e 19 de agosto de 2017, foi o líder do partido Unidade.[1]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Cargos políticos
Precedido por:
Sandra Kalniete
Comissário Europeu da Letónia
2004–2014
Sucedido por:
Valdis Dombrovskis
Precedido por:
Loyola de Palacio
como Comissário Europeu da Energia e Transportes
Comissário Europeu da Energia
2004–2010
Sucedido por:
Günther Oettinger
Precedido por:
Karel De Gucht
como Comissário Europeu do Desenvolvimento e Ajuda Humanitária
Comissário Europeu do Desenvolvimento
2010–2014
Sucedido por:
Neven Mimica
como Comissário Europeu para a Cooperação Internacional e Desenvolvimento

Referências

  1. «New leader of Latvia's Unity party calls for reconciliation among members, fresh start». ERR. 5 de junho de 2016. Consultado em 5 de junho de 2016