Annie Lobert

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde agosto de 2012).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Annie Lobert
Fundadora de "Hookers for Jesus" (Piranhas para Jesus)
Nascimento 26 de setembro de 1967 (50 anos)
Minneapolis, Minnesota
 Estados Unidos
Residência Las Vegas, Nevada
Cônjuge Oz Fox
Ocupação prostituta, missionária, diretora administrativa
Página oficial
www.hookersforjesus.net

Annie Lobert (Minneapolis, 26 de setembro, 1967) é uma ex-prostituta dos Estados Unidos, que fundou o movimento internacional Hookers for Jesus, um ministério evangélico independente. Em 2010, ela produziu e participou nas três partes da série Hookers: Saved on the Strip ("Piranhas, salvas na zona" ou "Piranhas, salvas no striptease") da televisão a cabo Investigation Discovery.[1]

Annie Lobert foi prostituta professional por 16 anos e trabalhou também como acompanhante em Las Vegas, Minneapolis, Minnesota, e Havai. Deixou a sua profissão com ajuda de Al Nakata, um cliente permanente, que se apaixonou pela prostituta. Nakata treinou a ela em auto-estima e serviços para trabalhar com ele em sua empresa de autopeças Super GT.[1][2]

Fundo pessoal[editar | editar código-fonte]

Annie Lobert nasceu no dia 26 de setembro de 1967 em Minneapolis, Minnesota. Ela é filha de Chet e Joanne Lobert. Ela é a filha mais nova entre dois irmãos e uma irmã. A irmã morreu em 1995, de Síndrome de Marfan. Annie teve envolvimentos com a prostituição desde cedo, mas conseguiu terminar o segundo grau com 18 anos antes de virar prostituta por tempo integral, em 1985, até 2001.[1]

No dia 5 de junho de 2009, casou com Oz Fox, guitarrista da banda cristã Stryper. A ceremônia foi um evento internacional no internet.[3]

Desenvolvimento profissional[editar | editar código-fonte]

Depois de algumas tentativas temporárias de se prostituir como menor, virou prostituta com 18 anos e trabalhou com muito sucesso, embora que teve muito contato com círculos, que bebem e fumam excessivamente e usam diversas drogas. Ela se destacou por seu jeito amoroso natural e sua boa vontade e ganhou muito dinheiro, às vezez mais de R$ 10 mil por dia. A parte, que não foi reclamada por cafetões, ela gastou para encher o vazio no interior. Ela se sentiu atraida por ações missionárias, mas nunca conseguiu conciliar esse desejo com a vida de uma prostituta de sucesso.

Hookers for Jesus[editar | editar código-fonte]

Menina da Hookers for Jesus, Brazil (Piranhas para Jesus)

Annie Lobert é presidente e fundadora de Hookers for Jesus (Piranhas para Jesus ou Putas para Jesus),[4] uma organização cristã beneficente internacional, que aborda prostituição, escravidão branca, tráfico de mulheres, violência e exploração de mulheres e crianças.[5]

Em 2008, a organização começou um programa para fornecer esconderijos seguros para prostitutas e testemunhas vitimas de exploração, violência e outros crimes por volta da indústria de sexo.[1][6]

Midias e publicidade[editar | editar código-fonte]

Lori Albee, Heather Veitch, e Annie Lobert no Adult Entertainment Expo, 2007 (exposição de entretenimento para adultos)

Em 2006, Annie começou um projeto com a dançarina de striptease Heather Veitch do ministério evangélico JCs Girls, sob o lema "Saving Sex City" (Salvando a Cidade Sexual).[7]

Em março de 2009, Annie participou no debate da TV ABC News Nightline sobre o questão "Satanás existe?"[8] Em seguida apareceu em vários canais de TV e de rádio.

Annie falou e pregou também em muitas igrejas e encontros nos EUA. Geralmente da testemunho pessoal e apresenta vítimas da prostituição.[1]

Ela apareceu também em muitas rádios no mundo inteiro, e em revistas e jornais.[9][10][11][12]

Mensagem[editar | editar código-fonte]

Annie Lobert aborda muitos temas, mas destaca sempre em suas mensagens, que "Deus ama a todos. "Contamos às mulheres, que Deus ama a elas independentemente do fato se são prostitutas, putas ou atrizes de pornô. Deus não tem uma conta com débitos, um livro eterno sobre os feitos das suas criações." "Sua benignidade consola e salva a todos." Annie e as suas correligionárias distribuem bíblias para as prostitutas, contam-lhes do amor imenso de Jesus e incentivam as prostitutas para aceitar o amor como presente e dividí-lo com os seus próximos.[13]

Referências

  1. a b c d e Annie Lobert (22 de novembro de 2010). «Hookers: Saved On The Strip». Investigation Discovery. Consultado em 3 de junho de 2011 
  2. «Las Vegas Liberator». Charismamag.com. 1 de março de 2011. Consultado em 4 de junho de 2011 
  3. «CNN: Hookers for Jesus founder, Christian rocker wed in Vegas». Edition.cnn.com. 5 de junho de 2009. Consultado em 3 de junho de 2011 
  4. «Entity Details - Secretary of State, Nevada». Nvsos.gov. 18 de julho de 2007. Consultado em 3 de junho de 2011 
  5. «Hookers for Jesus». Hookersforjesus.net. Consultado em 3 de junho de 2011. Cópia arquivada em 10 de maio de 2011 
  6. «The Destiny House». Destinyhouselv.com. 10 de setembro de 2008. Consultado em 3 de junho de 2011 
  7. «Saving Sex City on Myspace Films». Myspace.com. 21 de abril de 2011. Consultado em 3 de junho de 2011 
  8. «ABC News: Tempers Flare at Debate on the Devil». Abcnews.go.com. 26 de março de 2009. Consultado em 3 de junho de 2011 
  9. «Los Angeles Times: Born again, Vegas style». Vegasblog.latimes.com. 7 de janeiro de 2008. Consultado em 3 de junho de 2011. Cópia arquivada em 13 de julho de 2011 
  10. Bruce Tomaso/Editor (9 de janeiro de 2008). «Dallas News: Former hooker and former stripper team up to save souls in Las Vegas». Religionblog.dallasnews.com. Consultado em 3 de junho de 2011. Cópia arquivada em 8 de julho de 2011 
  11. Sherwell, Philip (26 de janeiro de 2008). «Hookers for Jesus: Ex sex-workers save souls». London: Telegraph. Consultado em 3 de junho de 2011 
  12. Sherwell, Philip (3 de fevereiro de 2008). «Former hookers adopt a missionary position». Sunday Tribune. South Africa 
  13. livenet.ch: Annie Lobért - Deus não tem uma conta de débitos, do 17 de dezembro 2010

Ligações externas[editar | editar código-fonte]