Antônio Ferrão Muniz de Aragão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura o governador da Bahia, veja Antônio Muniz Sodré de Aragão.

Antônio Ferrão Muniz de Aragão[1] (Salvador, nascimento e morte no século XIX) foi um positivista brasileiro, aluno de Augusto Comte e autor de trabalho de classificação científica.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho do Visconde de Itapororocas, deste herdou grande fortuna, que perdeu ao longo de uma vida dedicada ao estudo e pesquisas. No afã de ampliar os conhecimentos, estudou em Paris e Londres, sendo aluno e discípulo de Comte, e amigo de John Stuart Mill.[2]

A ele se deve, pela primeira vez em português, o uso do termo cibernética, embora num contexto diverso do atual - setenta anos antes de a palavra vir a ser cunhada em inglês por Norbert Wiener.[2]

Com a ruína financeira, foi nomeado diretor da Biblioteca Pública da Bahia, quando então produziu algumas de suas obras. Dentre estas destaca-se o Catálogo da Biblioteca da Província da Bahia', um "Systema de Classificação Methodica e Encyclopedica dos Conhecimentos Humanos", impresso na Typogragraphia Constitucional, em 1878 - obra pioneira na sistematização das ciências.[2]

Referências e notas

  1. A grafia original do nome é Antônio Ferrão Moniz de Aragão, família de origem nobre da Bahia
  2. a b c Debate entabulado entre Gilberto Freire, Pedro Calmon e outros sobre a obra de Ferrão Moniz, in: FREYRE, Gilberto et alii. Catálogo da Biblioteca da Província da Bahia. Boletim do Conselho Federal de Cultura. Rio de Janeiro, a. 8, n. 32, p. 91-95, jul./set. 1978. (Página consultada em 26 de janeiro de 2008.)
  • Curiosamente, o sítio oficial do governo da Bahia, até 26 de janeiro de 2008 (data de consulta) trazia como sendo Ferrão Moniz o "13º governador da Bahia" (sic) - confundindo-o com o seu parente, Antônio Muniz Sodré de Aragão.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.