Cientista

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Cientista
InvestigadoresUR.JPG

Cientistas trabalhando em um laboratório da Universidade da Rioja na Espanha

Nome
Cientistas
Tipo
Setor de atividade
Competências
Educação requirida
Um ou mais campos da Ciência
Campos de trabalho
Empregos relacionadas

Cientista é uma pessoa que realiza pesquisas científicas para avançar o conhecimento em uma área de interesse.[1][2] Os cientistas são motivados a trabalhar de várias maneiras. Muitos têm o desejo de entender por que o mundo é como o vemos e como ele veio a ser. Eles exibem uma forte curiosidade sobre a realidade.

Na antiguidade clássica, não havia um análogo antigo real de um cientista moderno. Em vez disso, os filósofos envolvidos no estudo filosófico da natureza chamado filosofia natural, um precursor da ciência natural.[3] Embora Tales (por volta de 624-545 a.C.) tenha sido indiscutivelmente o primeiro cientista a descrever como os eventos cósmicos podem ser vistos como naturais, não necessariamente causados ​​por deuses,[4][5][6][7][8] não foi até o século XIX que o termo cientista entrou em uso regular depois de ser cunhado pelo teólogo, filósofo e historiador da ciência William Whewell em 1833.[9][10]

Nos tempos modernos, muitos cientistas têm diplomas avançados[11] em uma área da ciência e seguem carreiras em vários setores da economia, como academia, indústria, governo e ambientes sem fins lucrativos.[12]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Eusocial climbers» (PDF). E.O. Wilson Foundation. Consultado em 3 de setembro de 2018. But he’s not a scientist, he’s never done scientific research. My definition of a scientist is that you can complete the following sentence: ‘he or she has shown that...’,” Wilson says. 
  2. «Our definition of a scientist». Science Council. Consultado em 7 de setembro de 2018. A scientist is someone who systematically gathers and uses research and evidence, making a hypothesis and testing it, to gain and share understanding and knowledge. 
  3. Lehoux, Daryn (2011). «2. Natural Knowledge in the Classical World». In: Shank, Michael; Numbers, Ronald; Harrison, Peter. Wrestling with Nature : From Omens to Science. Chicago: University of Chicago, U.S.A. Press. p. 39. ISBN 978-0226317830 
  4. Aristotle, Metaphysics Alpha, 983b18.
  5. Michael Fowler, Early Greek Science: Thales to Plato, University of Virginia [Retrieved 2016-06-16]
  6. Frank N. Magill, The Ancient World: Dictionary of World Biography, Volume 1, Routledge, 2003
  7. Singer, C. (2008). A Short History of Science to the 19th century. [S.l.]: Streeter Press. p. 35 
  8. Needham, C. W. (1978). Cerebral Logic: Solving the Problem of Mind and Brain. [S.l.]: Loose Leaf. p. 75. ISBN 978-0-398-03754-3 
  9. Cahan, David, ed. (2003). From Natural Philosophy to the Sciences: Writing the History of Nineteenth-Century Science. Chicago, Illinois: University of Chicago Press. ISBN 0-226-08928-2 
  10. Lightman, Bernard (2011). «Science and the Public». In: Shank, Michael; Numbers, Ronald; Harrison, Peter. Wrestling with Nature : From Omens to Science. Chicago: University of Chicago Press. p. 367. ISBN 978-0226317830 
  11. Cyranoski, David; Gilbert, Natasha; Ledford, Heidi; Nayar, Anjali; Yahia, Mohammed (1 de abril de 2011). «Education: The PhD factory». Nature (em inglês) (7343): 276–279. ISSN 1476-4687. doi:10.1038/472276a. Consultado em 27 de agosto de 2022 
  12. Woolston, Chris (outubro de 2017). «Graduate survey: A love–hurt relationship». Nature (em inglês) (7677): 549–552. ISSN 1476-4687. doi:10.1038/nj7677-549a. Consultado em 27 de agosto de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Cientista