Aquário Vasco da Gama

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Aquário Vasco da Gama
Tipo Público
Inauguração 1898
Website http://aquariovgama.marinha.pt
Geografia
País  Portugal
Cidade Oeiras, Lisboa

O Aquário Vasco da Gama localiza-se no Dafundo, freguesia de Cruz Quebrada - Dafundo, município de Oeiras, distrito de Lisboa, em Portugal. Trata-se de um aquário público.

História[editar | editar código-fonte]

O seu projeto foi concebido no contexto das comemorações do "IV centenário da partida de Vasco da Gama, para a descoberta do Caminho Marítimo para a Índia", com o apoio de Carlos I de Portugal, pioneiro da Oceanografia no país.

O terreno em que foi construído foi cedido pelo Ministério das Obras Públicas e os trabalhos, sob a responsabilidade da Comissão Executiva do Quarto Centenário do Descobrimento do Caminho Marítimo para a Índia, tiveram a orientação do cientista Albert Girard.

Foi inaugurado a 20 de Maio de 1898, na presença do soberano e tinha expostas, além das espécies que passaria a exibir normalmente, as coleções zoológicas reunidas durante as campanhas oceanográficas que o monarca empreendera a bordo do iate real "D. Amélia".

Inicialmente contava apenas com um piso, sendo-lhe acrescentado um segundo por volta de 1916, quando beneficiou de grandes remodelações.

Com o término das comemorações, o Aquário passou às mãos do Estado português, que por sua vez entregou a sua administração e exploração à Sociedade Portuguesa de Geografia. Por falta de recursos, até 1901, o Aquário esteve praticamente sem orientação técnica, vindo a degradar-se. A partir dessa data o Governo entregou-o ao Ministério da Marinha, nomeando como Director um conceituado jornalista, Armando Silva, que alimentava profundo interesse pelas Ciências Naturais.

Apesar do esforço empreendido para a recuperação do Aquário, o relacionamento de Armando Silva com o Governo degradou-se, vindo a ser substituído por outro jornalista, Francisco Machado Vieira. Em 1908, a Sociedade Portuguesa de Ciências Naturais, instalou-se no Aquário, com a direção do professor Almeida Lima.

Actualidade[editar | editar código-fonte]

Com cinco salas, cerca de 90 aquários e tanques, um vasto espólio oceanográfico do rei, mais de 300 espécies marinhas vivas e outros milhares em museu, o aquário regista uma média de 70 mil visitantes por ano, número que contrasta com o que era registado em 1992 (218 mil visitantes).

Desde 1901 que o aquário pertence à Marinha Portuguesa, que disponibiliza uma verba do seu orçamento para a manutenção do equipamento, sendo a restante despesa de funcionamento coberta pelas receitas próprias que advêm da bilheteira.

O Aquário Vasco da Gama inclui uma parte de museu, com a coleção oceanográfica do rei D.Carlos, e o aquário, que tem uma mostra alargada de espécies de água doce e salgada.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um museu é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.