Armazém do Espingardeiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Armazém do Espingardeiro
Armazém do Espingardeiro, em 2008
Tipo Núcleo museológico / edifício histórico
Inauguração 1665 (edifício original)

2008 (núcleo museológico)

Website Página oficial
Geografia
Localidade Lagos, Portugal

O Armazém do Espingardeiro, também conhecido por Oficina do Espingardeiro ou Casa do Espingardeiro, é um edifício histórico que alberga um núcleo museológico, localizado na cidade de Lagos, em Portugal.

Caracterização[editar | editar código-fonte]

Núcleo museológico[editar | editar código-fonte]

O núcleo museológico apresenta-se como um centro de interpretação sobre a evolução histórica da cidade de Lagos, com realce para a vertente urbana. O núcleo é dedicado ao arquitecto Rui Mendes Paula e à sua obra.[1]

O edifício dispõe-se apenas por um piso, com uma área aproximada de 160 m²; no interior, existem três salas de exposições, sendo cada uma subordinada a uma determinada fase da evolução histórica. A primeira sala debruça-se sobre as épocas romana, medieval e dos descobrimentos portugueses; a segunda sala é dedicada às alterações até à fase moderna, e a terceira explica a evolução entre os séculos XVIII e XXI. A interpretação é efectuada de forma directa e interactiva, permitindo um maior entendimento para as crianças.[2]

No canto entre as duas fachadas do edifício, ao longo da Travessa da Coroa e da Rua Dr. Júlio Dantas, encontra-se um brasão duplo[3], apresentado o escudo real e a chancela do Conde de Avintes.

Localização e acesso[editar | editar código-fonte]

O edifício situa-se na Freguesia de Santa Maria, na Travessa da Coroa, junto à Rua Dr. Júlio Dantas; o acesso é efectuado unicamente mediante marcação prévia, junto do Serviço de Museologia e Documentação Histórica da Câmara Municipal de Lagos.[4]

História[editar | editar código-fonte]

Construído em 1665 por ordem de D. António de Almeida, Conde de Avintes e governador do Reino do Algarve, o Armazém do Espingardeiro fazia parte de um conjunto de estruturas de apoio aos militares, denominado de "Quartéis da Corôa".[5] As principais funções deste edifício, enquanto estrutura militar, foram de selaria, armazém e oficina.[1]

Encerrado em data desconhecida, o edifício estava, em 1992, na posse da Cruz Vermelha Portuguesa; nesta altura, encontrava-se em estado de ruína, embora já dispusesse de um projecto de recuperação.[5] O edifício esteve, em 2001, projectado para nele ser instalada a Junta de Freguesia de Santa Maria.[6] Em 2004, foi cedido pela Junta de Freguesia de Santa Maria à Câmara Municipal de Lagos; a autarquia pretendia, já nessa altura, instalar aí um núcleo museológico, a ser integrado na Rede do Plano Museológico de Lagos.[7]

Foi restaurado à traça original e preparado para albergar o núcleo museológico, tendo a sua inauguração tido lugar em 25 de Outubro de 2008, no âmbito das comemorações do Dia do Município em Lagos.[1]

Em Setembro de 2009, no entanto, este espaço já se encontrava encerrado, devido à falta de visitantes, situação atribuída à sua localização numa zona periférica e de acesso difícil; uma coligação dos partidos Partido Social Democrata e CDS-PP defendeu, como parte do seu programa eleitoral, a transferência do núcleo museológico para o antigo edifício dos Paços do Concelho de Lagos.[8]

Referências

  1. a b c «Novo equipamento municipal inaugurado nas Festas da Cidade.». Câmara Municipal de Lagos. 30 de Outubro de 2010. Consultado em 1 de Agosto de 2010. 
  2. «Armazém do Espingardeiro em Lagos homenageia o arquitecto Rui Paula». Barlavento Online. 3 de Novembro de 2008. Consultado em 1 de Agosto de 2010. 
  3. Paula, 1992:319
  4. «Outros Museus em Lagos». Câmara Municipal de Lagos. Consultado em 1 de Agosto de 2010. 
  5. a b Paula, 1992:318
  6. «Candidato do PS/Lagos visita Juntas de Freguesia de São Sebastião e Santa Maria». Região Sul. 12 de Julho de 2001. Consultado em 1 de Agosto de 2010. 
  7. «Edifício do Espingardeiro cedido à Câmara de Lagos». Região Sul. 5 de Fevereiro de 2004. Consultado em 1 de Agosto de 2010. 
  8. «Coligação 'POR LAGOS, COM TODOS!' quer transformar antigos Paços do Concelho em Fórum da Cidade». PSD Algarve. Setembro de 2009. Consultado em 1 de Agosto de 2010. 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Paula, Rui Mendes (1992). Lagos. Evolução Urbana e Património. Lagos: Câmara Municipal de Lagos. 392 páginas. ISBN 9789729567629 
Ícone de esboço Este artigo sobre Património de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.