As Viagens de Marco Polo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de As viagens de Marco Polo)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde agosto de 2014)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.
Il Milione
As viagens de Marco Polo
Uma página de "As viagens de Marco Polo"
Autor(es) Marco Polo
Idioma Italiano
País República de Veneza
Localização espacial China e Oriente
Lançamento 1298-1299

Livro das maravilhas do mundo (Em Francês Livre des Merveilles du Monde) ou Descrição do Mundo (Devisment du Monde), em italiano Il Milione (O milhão) ou Oriente Poliano mais comumente chamado de As viagens de Marco Polo é um livro escrito por Rusticiano de Pisa, baseado nas histórias que este ouviu de Marco Polo, descrevendo as viagens de Polo pela Ásia entre 1271 e 1295, e suas experiências na corte de Kublai Khan.[1][2]

O livro foi escrito em Francês Antigo pelo escritor Rusticiano de Pisa, que organizou as histórias que escutou de Marco Polo quando ambos estavam presos em Gênova.[3] No início, houve certa dúvida se as histórias ali contadas eram verídicas ou apenas histórias fabulosas contadas por Marco Polo assim como nos tempos atuais também há essas dúvidas. Muitos questionam até mesmo se Marco Polo realmente viajou até a China ou estava apenas contando histórias que ele havia ouvido de outros navegadores.[4]

Alguns pesquisadores, concluíram que a obra é autêntica, porém não deve-se confiar nela como um todo.

História[editar | editar código-fonte]

A origem do nome Il Milione é tema de debates. Uma teoria é que o nome vem da família de Polo usava para destinguir-se de outras famílias venezianas (Emilione) que também carregavam consigo o nome Polo.[5] Outra teoria comum é que o nome deriva do modo do qual o livro foi recebido, dizendo que ali continha "um milhão" de mentiras.[6]

Pesquisas modernas do texto, geralmente consideram que o livro é a descrição de um observador e não apenas algo imaginativo. Marco Polo se mostra como curioso e tolerante, devoto de Kublai Khan e sua dinastia, a qual ele serviu por duas décadas. O livro conta suas viagens para a China, a qual ele chama de Catai (norte da china) e Manji (sul da china). Marco polo deixou Veneza em 1271. A jornada durou 3 anos até ele chegar em Catai e então conhecer o neto de Gengis Khan, Kublai Khan. Ele deixou a China no fim de 1290 ou 1291 e retornou a Veneza em 1295. Conta-se que Marco Polo disse que contou sua história ao escritor Rusticiano de Pisa, enquanto estavam na prisão em Gênova entre 1298 e 1299. Rusticiano escreveu as primeiras versões Franco-Italianas da história de Marco Polo. O livro foi chamado de Devisement du Mond e Livres des Merveilles du Monde em Francês, e De mirabilibus Mundi em Latim.[7]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre As Viagens de Marco Polo

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. 1254-1323., Polo, Marco,. The travels of Marco Polo. Harmondsworth, Middlesex: Penguin Books. ISBN 0140440577. OCLC 8720895 
  2. Luce., Boulnois,; Yu-Yun., Sheng, Angela. Silk Road : monks, warriors & merchants on the Silk Road English ed. Hong Kong: [s.n.] ISBN 9789622177215. OCLC 62781219 
  3. Jackson, Peter. «Marco Polo and His 'Travels'1». Bulletin of the School of Oriental and African Studies (em inglês). 61 (1): 82–101. ISSN 1474-0699. doi:10.1017/S0041977X00015779 
  4. 1948-, Wood, Frances, (1996). Did Marco Polo go to China?. Boulder, Colo.: Westview Press. ISBN 9781429488525. OCLC 173318954 
  5. «Finalmente torna il favoloso milione - la Repubblica.it». Archivio - la Repubblica.it (em italiano) 
  6. Lindhal, McNamara (2000). Medieval Folklore: An Encyclopedia of Myths, Legends, Tales, Beliefs, and Customs. [S.l.]: Santa Barbara. 
  7. «Finalmente torna il favoloso milione - la Repubblica.it». Archivio - la Repubblica.it (em italiano)