Atacama Large Millimeter Array

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Antenas do projeto ALMA

O Atacama Large Millimeter Array (ALMA) é um rádio-observatório constituído por um conjunto de 66 antenas, das quais 54 com 12 metros de diâmetro e as demais com 7 metros de diâmetro.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Sua construção começou em 2003 e as observações científicas tiveram início em 2011. ALMA está localizado a uma altitude de 5000 metros, na Zona de Chajnantor, a leste da vila de San Pedro de Atacama, no Chile - um dos maiores sítios de observação astronômica do mundo. Foi inaugurado no dia 13 de março de 2013[2]. Orçado em um bilhão de euros, ele faz parte de uma parceria entre países da Europa, da Ásia Oriental e da América do Norte em cooperação com a República do Chile. O Observatório Europeu do Sul é o parceiro europeu no projeto ALMA.[3]

Características[editar | editar código-fonte]

A sensibilidade do conjunto de antenas torna possível a observação de galáxias muito distantes. Espera-se para outubro de 2015 observações com as 66 antenas em pleno funcionamento.[4]

Resultados científicos[editar | editar código-fonte]

Em 11 de agosto de 2014, os astrônomos liberado estudos, utilizando o Atacama Large Millimeter/submillimeter Array (ALMA), pela primeira vez, que detalhou a distribuição de HCN, HNC[5], H2CO e poeira no interior do [[Coma (astronomia)|cauda de cometas C/2012 F6 (Lemmon)[6] e C/2012 S1(ISON)[7][8].

Referências

  1. «ALMA's Antennas» (em inglês). European Southern Observatory. Consultado em 19 de outubro de 2014. 
  2. g1.globo.com/ Megaobservatório é inaugurado a 5 mil metros de altitude nos Andes
  3. ESO, the European Southern Observatory (18/01/2012 23h48), http://www.eso.org/public/about-eso/esoglance.html
  4. Radiotelescópio ALMA instala 66ª antena e tem recorde de pedidos de uso (17/06/2014 20h39), em.com.br
  5. O sufixo 'ylidyne' refere-se à perda de três átomos de hidrogênio a partir do átomo de nitrogênio em amónio (NH4+) See theVeja IUPAC Red Book 2005 Table III, "Suffixes and endings", p. 257.
  6. Kronk, Gary W. «C/2012 F6 (Lemmon)». Cometography.com. Consultado em 5/mar/2015. 
  7. Zubritsky, Elizabeth; Neal-Jones, Nancy (11 August 2014). «RELEASE 14-038 - NASA’s 3-D Study of Comets Reveals Chemical Factory at Work». NASA. Consultado em 5/mar/2015. 
  8. Cordiner, M.A.; et al. (11 August 2014). «Mapping the Release of Volatiles in the Inner Comae of Comets C/2012 F6 (Lemmon) and C/2012 S1 (ISON) Using the Atacama Large Millimeter/submillimeter Array». The Astrophysical Journal [S.l.: s.n.] 792 (1). doi:10.1088/2041-8205/792/1/L2. Consultado em 5/mar/2015. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Atacama Large Millimeter Array
Ícone de esboço Este artigo sobre astronomia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.