Awad Hamed al-Bandar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde fevereiro de 2016)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.
Awad Hamed al-Bandar
Nascimento 2 de janeiro de 1945
Morte 15 de janeiro de 2007 (62 anos)
Bagdá
Cidadania Iraque
Ocupação juiz, político
Causa da morte enforcamento

Awad Hamad al-Bandar (2 de janeiro de 1945Bagdá, 15 de janeiro de 2007) foi um juiz chefe do Iraque sob a presidência de Saddam Hussein.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Al-Bandar era o líder do Tribunal Revolucionário que editou a sentença de morte de 143 residentes da cidade xiita de Dujail, como resultado do atentado falhado ao presidente no dia 8 de Julho de 1982 (um ano antes de os E.U.A. assumirem relações diplomáticas com Hussein para ajudar na derrota do seu inimigo comum, o Irão). No Julgamento de Saddam Hussein Awad foi visado por crimes contra a Humanidade, pela emição de sentenças de morte. No dia 5 de Novembro de 2006, Awad foi sentenciado à morte por enforcamento, tal como Saddam Hussein e Barzan Ibrahim al-Tikriti.

Execução[editar | editar código-fonte]

O resultado da sentença foi muito esperado, só sendo transmitido no dia 30 de Dezembro de 2006, pouco antes das 6:00 AM (hora do Iraque) desse dia. Saddam foi de facto enforcado às 6:05 AM hora do Iraque. Inicialmente acreditava-se que Barzan e Awad também teriam sido enforcados com ele. Algumas horas depois, um comunicado oficial informou que as execuções de Awad e Barzan haviam sido adiadas para dar um significado especial ao dia da execução de Saddam. Os E.U.A. invocaram que eles não tinham os meios logísticos (helicópteros) para embarcarem os restantes dois condenados para o local da execução; O governo do Iraque disse mais tarde que não haviam tido tempo.

No dia 31 de Janeiro de 2007, um oficial do governo iraquiano disse à Associated Press que os enforcamentos do meio-irmão de Saddam, Barzan Ibrahim, chefe dos serviços secretos, e de Awad Hamed al-Bandar, o juiz chefe do Tribunal Revolucionário estavam a ser preparados para 4 de Janeiro de 2007. Foram ambos enforcados antes do amanhecer de 15 de Janeiro de 2007. Foram dados como mortos às 3:05 AM, hora de Bagdad. Não foi permitido ao seu advogado estar presente, tal como acontecera com Saddam e al-Tikriti. al-Bandar tinha 62 anos.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]