Baanes II Amatuni

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Baanes II Amatuni
Etnia Armênio
Religião Catolicismo

Baanes II Amatuni foi um nobre (naxarar) armênio do século V, membro da família Amatuni.

Vida[editar | editar código-fonte]

Dracma de Vararanes V (r. 420–438)

Em 428, os naxarares da Armênia peticionaram ao Vararanes V (r. 420–438) para que destronasse o rei Artaxias IV (r. 422–428) e abolisse a dinastia arsácida. Para governar o país, o xá nomeia Miranes Sapor como marzobam e confiou a tenência real a Baanes.[1] Em fevereiro de 440, Baanes levou o corpo do falecido católico Isaac I, o Parta (m. 439) para Oxacano, onde uma tumba de grande distinção foi feita e multidões de pessoas de Airarate fizeram festa em sua honra.[2]

Baanes estava entre os dinastas que protestaram a tentativa de Isdigerdes II (r. 438–457) de impor o zoroastrismo sobre os cristãos da Armênia em 448-449 e foram chamados a Ctesifonte.[3] Em 449, vai com Maiactes e outros nobres à corte de Constantinopla para solicitar ao imperador Teodósio II (r. 408–450) apoio militar contra Isdigerdes;[4] Lázaro de Parpi qualificou-o como sagaz e erudito.[5] Em 451, Baanes incita Bardanes II a encabeçar uma revolta contra o julgo persa; Lázaro afirma que, mais do que a questão religiosa, seu motivo para querer uma revolta era sua rixa com o marzobam Bassaces I.[6] Lutou ao lado dos rebeldes, mas quando a rebelião foi derrotada, esteve entre aqueles que foram à corte em Ctesifonte e foram exilados para Gurgam.[3]

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Grousset, René (1947). História da Armênia das origens à 1071. Paris: Payot 
  • Toumanoff, Cyril (1989). «Amatuni». Enciclopédia Irânica Vol. I Fasc. 9. Nova Iorque: Columbia University Press