Batalha de Hondschoote

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Batalha de Hondschoote
Guerras Revolucionárias Francesas
Battle of Hondschoote.jpg
Battle of Hondschoote 1793
Pintura de Eugène Lami. 1890 com base nuam gravura de Boussod & Valadon
Data 6-8 de Setembro de 1793
Local Hondschoote, Norte de França.
Desfecho Vitória francesa
Beligerantes
Flag of Great Britain (1707–1800).svg Reino da Grã-Bretanha
Flag of Hanover (1692).svg Eleitorado de Hanover
Flag of Hesse.svg Hesse-Cassel
Flag of France.svg Primeira República Francesa
Comandantes
Marechal-de-campo Heinrich Wilhelm von Freytag General Jean Nicolas Houchard
Forças
± 42.600 ± 17.500[1]
Baixas
3.000 4.000[2]
Localização do campo de batalha de Hondschoote.

A Batalha de Hondschoote foi travada em 1793, durante as Guerras Revolucionárias Francesas, mais precisamente, durante a Campanha da Flandres nas Guerras nas guerras da Primeira Coligação, quando os Aliados cercaram o porto de Dunquerque (24 de Agosto - 8 de Setembro de 1793). A batalha teve como resultado uma vitória das forças francesas.

A Batalha ocorreu em Hondschoote, cerca de 15 Km a Sudeste de Dunquerque, numa estrada paralela à fronteira com a Bélgica, enquanto as forças Aliados sob comando do Duque de York se encontravam empenhadas no cerco de Dunquerque. Uma parte dessa força, cerca de 14.500 homens, sob o comando do Marechal-de-campo Heinrich Wilheim von Freytag, oficial do Eleitorado de Hanover encontrava-se a proteger o flanco esquerdo das forças que executavam o cerco. O ataque foi desencadeado por forças do Exército do Norte francês, então sob o comando do General Jean Nicolas Houchard[3].

Monumento à vitória de Hondschoote, inaugurado em 15 de Junho de 1890, em Hondschoote.

O primeiro ataque foi lançado no dia 6 de Setembro. Os Aliados resistiram bem mas a superioridade numérica dos Franceses obrigou-os a retirar para Hondschoote. Durante esta retirada, Freytag chegou a ser capturado por forças francesas mas acabou por ser libertado pelas suas tropas embora tenha sido ferido. O comando da força foi então assumido por Wallmoden, um dos seus subordinados[4].

Os Franceses lançaram novo ataque no dia 8 de Setembro. No entanto, o ataque não foi bem coordenado e isso provocou numerosas baixas. No entanto, os repetidos ataques lançados contra os Aliados e a superioridade numérica dos Franceses, permitiram obter resultados. Após quatro horas de combates e depois de terem perdido cerca de um terço da sua força, os Aliados viram-se obrigados a abandonar o terreno e iniciaram uma retirada. O Exército do Duque de York só ficou todo reunido na manhã do dia 9. A perda da força de cobertura obrigou o Duque de York a abandonar o cerco[5].

Referências

  1. SMITH, pp. 53 e 54.
  2. Cerca de 30 % dos homens envolvidos na batalha.
  3. SMITH, p. 53.
  4. Rickard
  5. Rickard

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

DUPUY, Richard Ernest & DUPUY, Trevor Nevitt, The Encyclopedia of Military History, Harper & Row, Publishers, New York, 1986.

Rickard, J (14 January 2009), Battle of Hondschoote, 8 September 1793, http://www.historyofwar.org/articles/battles_hondschoote.html

SMITH, Gigby, The Greenhill Napoleonic Wars Data Book, Greenhill Books, Londres, 1998.