Batalha de Ngasaunggyan

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Batalha de Ngasaunggyan
Data 1277
Local Yunnan
Desfecho Vitória mongol
Situação Invasão mongol a Birmânia
Beligerantes
Império Pagan Império Mongol
Comandantes
Narathihapate Khudu[1]
Forças
20 000 para além de mais 120 elefantes de guerra[2] 12 000
Baixas
Elevada Desconhecido

A Batalha de Ngasaunggyan foi um conflito de suma importância histórica, travado em 1277 entre a dinastia Yuan de Kublai Khan do Império Mongol e regiões vizinhas a sul, e o Império Pagan (na actual Mianmar), liderado por Narathihapate. A batalha teve início com a invasão de Narathihapate a Yunnan, uma província da dinastia Yuan do Império Mongol. A defensiva mongol derrotou as forças Pagan.

Nesse período era veemente a hostilidade entre os dois impérios: quando Kublai Khan enviou emissários para as potências regionais da Ásia Oriental para exigir o tributo, Narathihapate repeliu os representantes de Khan na primeira visita, em 1271, os quais foram assassinados por bandidos em 1273. A demora de Kublai Khan em responder ao insulto, permitiu que Narathihapate ficasse confiante de que os mongóis não iriam ripostar. Em seguida, o estado de Kaungai é invadido pelas forças birmanesas, cujo chefe havia recentemente prometido lealdade a Kublai. Depressa, tropas imperiais foram obrigadas a defender a área, e, embora em número inferior, foram capazes de derrotar tranquilamente as forças Pagan e pressionar o território Pagan de Bhamo. A princípio, a presença de elefantes de guerra trouxe o terror às tropas mongóis a cavalo fazendo-as recuar, entretanto o general mongol Khudu (Qutuq) ordenaria que os seus homens infligissem um banho de flechas no ataque aos elefantes. Feridos, estes acabaram por fugir, destruindo tudo o que estava no seu caminho. Por fim, as tropas mongóis abandonaram a ofensiva e regressaram a Yunnan, com o seu general ferido.

A Batalha de Ngassaunggyan foi o primeiro dos três confrontos determinantes entre os dois impérios, sendo as outras a Batalha de Bhamo em 1283, e a Batalha de Pagan em 1287. Em finais destes conflitos, os mongóis acabaram por conquistar todo o império Pagan e nele estabeleceram um estado fantoche.

No final de 1277, o filho do governante de Yunnan, Naser ad-Din, atacou novamente Bhamo na tentativa de estabelecer um sistema postal que já teria abrangido o Império Mongol após derrotar os inimigos. Contudo, o calor letal fê-lo deixar a Birmânia. Ele regressaria em 1279 a Dadu com 12 elefantes que os ofereceu a Kublai Khan.[2][3]

A batalha foi mais tarde relatada à Europa através de Marco Polo, que descreveu o confronto a partir dos seus relatos por ele mesmo vividos. Presume-se que sua descrição fora reforçada pelo o que ele ouvira enquanto visitava a corte de Khublai Khan.

Referências

  1. d'Ohsson, Constantin Mouradgea (1940) [1834-35], Histoire des Mongols, depuis Tchinguiz-Khan jusqu'a Timour Bey, ou Tamerlan, Amsterdam: Les Freres Van Cleef 
  2. a b Man, John (2012), Kublai Khan : from Xanadu to superpower, ISBN 9781446486153, London: Transworld 
  3. Монгол-Татарууд, Ази Европд: Ulan Bator, 1984

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Hall, D.G.E. (1960). Burma. Hutchinson & Co.: London. 3ª edição.