Bilheteria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bilheteria das Barcas S/A, no Rio de Janeiro.

Bilheteria é um lugar no qual bilhetes são vendidos ao público para ingresso em um evento. Nela, os adquirentes podem realizar a transação através de um balcão, através de um orifício na parede, por uma janela ou em um portão.

Por extensão, no contexto da indústria cinematográfica e de entretenimento em geral, o termo é usado como referência à quantia recebida por determinado filme, produção teatral ou artística em geral em função da frequência aos eventos com entrada paga.[1] Nesse sentido, além da quantia em dinheiro, também se pode fazer referência à quantidade de bilhetes vendidos, oferecendo mais um critério para a avaliação do sucesso ou não de determinada produção.

Uso[editar | editar código-fonte]

Há queixas de que a indústria cinematográfica se concentra no lucro e diminui a atenção dada ao cinema enquanto forma de realização artística. No entanto, o sucesso de bilheteria influencia decididamente a produção e o financiamento de trabalhos futuros.

Em dezembro de 2009, com sua aquisição pela Nielsen EDI por 15 milhões de dólares, a empresa de medição Rentrak tornou-se a única fornecedora de dados mundiais de bilheteria e frequência a salas de cinema.[2][3] Há vários websites que monitoram valores de bilheteria, tais como Boxoffice, Box Office India, Box Office Mojo, Koimoi, ShowBIZ Data e The Numbers.

Para determinar se determinado filme teve lucro ou prejuízo, não é correto fazer a comparação direta entre o valor bruto de bilheteria e o custo, dentro da previsão ou não, no orçamento da produção, porque os exibidores ficam na média com valor considerável do valor, que varia de filme a filme, com a porcentagem do distribuidor sendo maior nas primeiras semanas de exibição. Também é comum que o distribuidor receba uma porcentagem do rendimento bruto ou uma porcentagem maior do rendimento, após retirar determinado valor inicial, o que for maior.[4][5]

Terminologia (América do Norte)[editar | editar código-fonte]

A seguinte terminologia é utilizada pela Box Office Mojo:[6]

  • Para filmes lançados na América do Norte, o termo doméstico refere-se aos Estados Unidos e ao Canadá e o termo estrangeiro refere-se a todos os demais países.
  • Bilheteria semanal[7] é o valor auferido da sexta-feira de uma semana à quinta-feira da semana seguinte, considerando o fato de que nesses dois países, a maioria dos filmes é lançada às sextas-feiras. Componente relevante desse conceito é a bilheteria de fim de semana,[8] definida como o valor auferido da sexta-feira ao domingo.
  • Frequentemente se faz referência à primeira semana de exibição como semana de estreia.[9]

Galeria[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Bilheteria

Referências

  1. Answers.com
  2. Gunderson, Laura (8 de fevereiro de 2010). «Portland-based Rentrak posts Q3 loss». The Oregonian. Consultado em 9 de fevereiro de 2010 
  3. «Rentrak buys Nielsen EDI, consolidating box office reporting business». The Los Angeles Times. Consultado em 9 de abril de 2011 
  4. Entertainment.howstuffworks.com
  5. Express.howstuffworks.com[1]
  6. «Office Tracking by Time». Box Office Mojo. Consultado em 12 de janeiro de 2010 
  7. «"Avatar" perde liderança para "Querido John" na bilheteria semanal dos EUA». Portal Exibidor. 8 de fevereiro de 2010. Consultado em 22 de julho de 2016 
  8. Reuters (7 de maio de 2016). «Missão Impossível é a maior bilheteria do fim de semana nos EUA». Gazeta do Povo. Consultado em 22 de julho de 2016 
  9. Reuters (20 de junho de 2016). «'Procurando Dory' estreia nos EUA com recorde de US$ 136,2 milhões». G1. Consultado em 22 de julho de 2016