Bob Wolfenson

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Bob Wolfenson (São Paulo, 1954) é um fotógrafo brasileiro.

Iniciou a carreira ao 16 anos como assistente de fotografia na Editora Abril onde permaneceu por quatro anos. Em 1974, passou a trabalhar como free-lancer, fazendo algumas revistas técnicas da Editora Abril, como Químicos e Derivados, Máquinas e Metais. As fotos eram de empresários – o famoso boneco, na linguagem jornalística.

Em 1978, montou seu primeiro estúdio e estudou Ciências Sociais. Em 1982 mudou-se para Nova Iorque[1], trabalhou como assistente do fotógrafo norte-americano Bill King. De volta ao Brasil, sua carreira tomou novo rumo e, a partir de 1985, começou a fazer editoriais para diversas revistas. A consagração como fotógrafo veio após a exposição Jardim da Luz, em 1996, no Museu de Arte de São Paulo.

Foi responsável por vários ensaios para a Playboy e diversas capas e editoriais de moda. Em 2004 realizou a exposição Antifachada - Encadernação Dourada no Museu de Arte Brasileira da Fundação Armando Álvares Penteado, e suas fotos passam a pertencer a diversas coleções, museus e instituições de arte. MAB - FAAP

Atualmente é considerado por muitos como um dos maiores fotógrafos da América Latina.[2] Bob Wolfenson fotografou dezenas de top models, fez muitas campanhas publicitarias importantes apesar de ser essencialmente um artista.[2]

Atualmente Bob Wolfenson é coeditor da revista da qual ele mesmo é cocriador, a S/N (lê-se Sem Número). Também é curador de fotografia do Movimento HotSpot[3].

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]