Brumadoíta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Brumadoíta
Cristais de brumadoíta encravados em uma pedra de magnesita, encontrada na mina Pedra Preta.
Categoria Monoclínico (P21/m)
Cor Azul
Fórmula química Cu3Te6 + O4 (OH)4.5H2O
Propriedades cristalográficas
Sistema cristalino Monoclínico
Hábito cristalino Subédrico
Propriedades ópticas
Transparência Transparente e translúcido
Propriedades físicas
Densidade 4.768 g/cm3
Dureza 1
Fratura Irregular/desigual
Tenacidade Frágil
Brilho vítreo
Referências [1][2]

Brumadoíta (fórmula química Cu3Te6 + O4 (OH)4.5H2O) é um novo mineral monoclínico e holótipo descoberto em 1993 na mina Pedra Preta, na Serra das Éguas, no município de Brumado, Brasil. Seu nome foi aprovado pela Commission on New Minerals, Nomenclature and Classification (CNMNC), da Associação Internacional de Mineralogia (IMA 2008) e é uma homenagem à localidade onde é encontrado.[3]

História[editar | editar código-fonte]

O novo mineral foi descoberto por Paulo A. Matioli e o já falecido Carlos P. Barbosa em 1993 e, até agora, é o único exemplar encontrado. Parte do material do holótipo está depositado sob o código DR679 no Museu de Geociências do Instituto de Geociências da USP, Universidade de São Paulo, na cidade de São Paulo e outra parte, sob o código M5528, no Museu José Bonifácio de Andrada e Silva, na cidade de Santos, interior do estado de São Paulo. As porções de micrograma (com magnesita) estão guardadas dentro da Série de Referência Sistemática da Coleção Nacional de Minerais do Serviço Geológico em Ottawa, no Canadá, sob o código NMC 068161. A parte polida, que serve para estudo de reflectância e análises de microssondas de elétrons, encontra-se preservada no Museu de História Natural da cidade de Londres, Reino Unido, com o código BM 2008, 32.[3]

Características[editar | editar código-fonte]

a brumadoíta é formada por agregados microcristalinos, raramente pseudomorfo, após surgir de magnesita grosseira, associado com motramita e quartzo. Os cristais da Brumadoíta são subédricos, com tamanho aproximado em 1-2 μm. É azul pálido (perto de RHS 114B) e tem um brilho vítreo. É transparente a translúcida e não é fluorescente sob luz ultravioleta de longa ou curta onda. A fórmula empírica é (Cu2.90Pb0.04Ca0.01)Ʃ2.95(Te6+0.93SI0.05)Ʃ0.98O3.92(OH)3.84.5.24H2O. A quantidade de material disponível é insuficiente para uma determinação da densidade. A densidade calculada é de 4,768 g/cm3, com base na fórmula empírica e parâmetros de célula unitária, refinados a partir de dados em pó. Testes realizados com solução de KI, revelaram que esse mineral contém telúrio no estado 6+. Sua fórmula monoclínica é P21/m ou P21. Os parâmetros de unidades celulares, adquiridos por estudos de raios x são a: 8.629(2) Å (Ångström), b: 5.805(2) Å, c: 7.654(2) Å. É encontrado em associação com magnesita.[3]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Mindat.org. «Brumadoite». Consultado em 4 de janeiro de 2017 
  2. Web Mineral. «Brumadoite mineral data». Consultado em 4 de janeiro de 2017 
  3. a b c Mineralogical Magazine. «Brumadoite, a new copper tellurate hydrate, from Brumado, Bahia, Brazil». Consultado em 4 de janeiro de 2017