Bruno Hermanny

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Bruno Hermanny
pesca subaquática, Pentatlo Moderno
Nome completo Bruno de Otero Hermanny
Nascimento 26 de dezembro de 1932
São Paulo-SP
Nacionalidade brasileiro
Morte 20 de fevereiro de 1992 (59 anos)
Rio de Janeiro-RJ
Clube Iate Clube do Rio de Janeiro, Fluminense
Medalhas
Competidor do  Brasil
Campeonato mundial de pesca subaquática
Ouro Palermo-1960 Individual
Ouro Rio de Janeiro-1963 Individual

Bruno de Otero Hermanny (São Paulo-SP, 26 de dezembro de 1932; Rio de Janeiro, 20 de fevereiro de 1992) foi um desportista brasileiro, sendo, até hoje, o único brasileiro bi-campeão mundial de pesca subaquática na categoria individual.[1][2]

Em sua homenagem, foi criado o Torneio Bruno Hermanny de Caça Submarina, que é sediado anualmente pelo Iate Clube do Rio de Janeiro.[3]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Criado na capital paulista, teve o primeiro contato com as piscinas no Clube Germânia, atual Esporte Clube Pinheiros. Aos 6 anos de idade, mudou, junto com seus pais, para o Rio de Janeiro, onde passou a dedicar-se aos esportes aquáticos.

Levado ao Fluminense Futebol Clube para um teste de natação, lá permaneceu alguns anos treinando e competindo em provas de velocidade, tendo integrado equipes campeãs de nível Estadual, Nacional e Sulamericano (1954), em companhia, entre outros, de João Gonçalves, Aran Boghossian e Tetsujo Okamoto.

Quando completou 18 anos, alistou-se no serviço militar. Servindo ao exército, foi convocado para dois Campeonatos Mundiais de Pentatlo Moderno, destacando-se nas provas de natação e equitação.

Foi na pesca subaquática, no entanto, que mais êxito alcançou. Venceu campeonatos Estaduais, Nacionais e em duas ocasiões foi medalha de ouro em Mundiais: no de 1960, na Itália, e no de 1963, no Rio de Janeiro. A primeira conquista do mundial, em 1960, lhe rendeu uma capa na edição de 14 janeiro de 1961 da revista "Cruzeiro", ao lado de Pelé, Éder Jofre e de Maria Esther Bueno.[4] A matéria fazia uma projeção da carreira dos quatro atletas e comentava as conquistas do ano anterior.[5]

Além da pesca submarina, ele se destacava também em outros esportes. Em 1953, por exemplo, ele bateu o recorde mundial do Pentatlo Moderno[6], competindo pelo Fluminense.

Referências

  1. terceirotempo.bol.uol.com.br/ Que Fim Levou? Bruno Hernanny
  2. customeditora.com.br/ Caça Submarina – Rápidos no gatilho
  3. brasilskindiver.com.br/ Equipe Cobra Sub vence o torneio Bruno Hermany no Rio de Janeiro
  4. Capa da edição de 14 janeiro de 1961 da revista "Cruzeiro"
  5. sportv.globo.com/ Maria Esther Bueno lamenta falta de legado no tênis feminino do Brasil
  6. atlasesportebrasil.org.br/

Lições externas[editar | editar código-fonte]