Bruto de Troia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Brutus, ou Bruto de Troia, é um pseudo-descendente do herói Enéias, criado na era medieval, sendo citado, como o fundador epônimo e primeiro rei da grã-Bretanha. Esta lenda aparece pela primeira vez na História dos Bretãos, um escrito medieval anônimo do século IX,mas é mais conhecida a partir conta ao século XII, pelo cronista Godofredo de Monmouth , em sua Historia Regum Britanniae. Não obstante isso, ele não é mencionado em nenhum texto clássico e não pode ser considerado histórico.

Historia Britonum[editar | editar código-fonte]

A Historia Britonum afirma que "A ilha da grã-Bretanha deriva seu nome de Brutus, um cônsul romano" que conquistou a Hispânia. Isso é em última análise derivado do escritor medieval Isidoro de Sevilha no 7º século em que foi especulado que a grã-Bretanha foi nomeado depois que o general romano Decimo Junio Bruto Galaico, teria pacificado a Hispânia Ulterior em 138 a.C. Uma descrição posterior, sugeri que Brutus é o neto ou o bisneto de Eneias — em uma lenda que mistura Isidoro com a pseudo-histórica, "Tabela das Nações" em uma tradição que surgiu no início da idade media,[1] e que tentava rastrear os povos do mundo conhecido (bem como figuras lendárias até antepassados bíblicos .[2][3][4][5]

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Goffart, Walter, "The Supposedly 'Frankish' Table of Nations: An Edition and Study, Frühmittelalterliche Studies 17, 1983, pp. 98–130.
  2. Summerfield, Thea , "Filling the Gap: Brutus in the Historia Brittonum, Anglo-Saxon Chronicle MS F, and Geoffrey of Monmouth", in: Dresvina, Juliana and Sparks, Nicholas (Eds.), The Medieval Chronicle VII, Rodopi, Amsterdam/New York, 2011, p. 85-102
  3. Charles-Edwards, T. M., Wales and the Britons, 350-1064, Oxford, 2013, p. 439; 441; 454.
  4. Wadden, Patrick, "The Frankish Table of Nations in Insular historiography", Cambrian Medieval Celtic Studies 72 (Winter 2016), pp. 1–31.
  5. Josephus and Modern Scholarship (1937–1980)By Louis H. Feldman 1984,page 893

Referências[editar | editar código-fonte]

  • A tradução de Historia Brittonum de J. A. Giles, Seis inglês Antigo Crônicas, Londres: Henry G. Bohn 1848. Texto completo da Universidade de Fordham.
  • John Morris (ed), Nennius: Arturiana Período de Fontes Vol. 8, Phillimore, 1980
  • Geoffrey de Monmouth, A História dos Reis da grã-Bretanha, traduzido por Lewis Thorpe, Pinguim, 1966
  • Henry Lewis (ed.), Brut Dingestow (Universidade do país de Gales Prima, 1942). Os melhores e mais conhecidos Médio Galês adaptação. Texto Original com introdução e notas, em Galês.
  • O Britânico História de Geoffrey de Monmouth, traduzido por Aaron Thompson, revisada e corrigida por J. A. Giles, 1842
  • A Mitologia de Bulfinch