Caio Márcio Rutilo Censorino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Caio Márcio Rutilo Censorino
Cônsul da República Romana
Consulado 310 a.C.

Caio Márcio Rutilo Censorino (em latim: Gaius Marcius Rutilus Censorinus) foi um político da gente Márcia da República Romana, eleito cônsul em 310 a.C. com Quinto Fábio Máximo Ruliano. Era filho de Caio Márcio Rutilo, cônsul em 357, 352, 344 e 342 a.C..

Foi tribuno da plebe em 311 a.C..

Consulado (310-309 a.C.)[editar | editar código-fonte]

Caio Márcio foi eleito em 310 a.C. com Quinto Fábio Máximo Ruliano.[1] Enquanto Fábio liderou a campanha contra os etruscos, Caio Márcio combateu os samnitas. Logo depois de invadir o território samnita, Caio Márcio derrotou o exército da cidade de Alife e começou a arrasar seu território. Porém, o samnitas, que ouviram notícias da campanha militar de Quinto Fábio nos montes Cimini, distantes de Roma e contra um povo tão valoroso quanto os etruscos, reorganizaram suas forças e atacaram o exército de Caio Márcio, que sofreu pesadas baixas, inclusive o próprio cônsul, que foi ferido.[2]

O cônsul foi enfrentá-los e a batalha, de resultado incerto, foi duríssima. Embora ambos os lados tenham sofrido pesadas perdas, a opinião popular atribuiu aos romanos uma derrota, pois eles perderam homens de status equestre, alguns tribunos militares, um lugar-tenente e, o que causou um grande choque, um cônsul foi ferido
 

Esta derrota incitou o Senado a nomear como ditador Lúcio Papírio Cursor.[2]

Anos seguintes[editar | editar código-fonte]

Em 300 a.C., graças à Lei Ogúlnia, Caio Márcio, juntamente com Públio Décio Mus, Marco Lívio Denter e Públio Semprônio Sofo, foi um dos quatro primeiros plebeus a alcançar o cargo de pontífice, restrito, até então, aos patrícios.[3]

Foi censor duas vezes, primeiro em 294 a.C., com Públio Cornélio Arvina, e, em seguida, em 265 a.C., com Cneu Cornélio Blasião. Foi um dos promotores da lei que impedia que alguém fosse censor por duas vezes.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Cônsul da República Romana
SPQR.svg
Precedido por:
'Caio Júnio Bubulco Bruto III

com Quinto Emílio Bárbula II

Quinto Fábio Máximo Ruliano II
310 a.C.

com Caio Márcio Rutilo Censorino

Sucedido por:
'Lúcio Papírio Cursor
(Terceiro ano ditatorial)

'


Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • T. Robert S., Broughton (1951). «XV». The Magistrates of the Roman Republic. Volume I, 509 B.C. - 100 B.C. (em inglês). I. Nova Iorque: The American Philological Association. 578 páginas