Caminho Espanhol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O chamado Caminho Espanhol foi uma rota terrestre criado por Filipe II para o transporte de dinheiro e tropas espanholas para a Guerra dos Oitenta Anos.

O Caminho Espanhol surgiu devido a inconveniência do transporte marítimo (pelo mau tempo que prevalece nos mares da região) e a inimizade da Inglaterra e da França que então dominavam o Canal da Mancha; levando o monarca espanhol a abrir uma rota alternativa através de um trajeto militar, de Milão a Bruxelas, passando por locais seguros ou territórios sob sua autoridade ou influência.

A rota foi usada pela primeira vez em 1567 pelo Duque de Alba em sua viagem para a Holanda, e a última vez a ser usada pelo exército espanhol foi em 1622. A rota principal começava no Ducado de Milão, depois de atravessar os Alpes por Savóia, seguia pelo Franco-Condado, Ducado de Lorena, Luxemburgo, Principado-Bispado de Liège e Flandres, até chegar em Bruxelas.[1]

O Caminho Espanhol com suas variantes principais e secundárias, Barcelona e Nápoles a Bruxelas, via Gênova e Milão.

Uma segunda rota começou a ser usada depois de 1622, devido a aliança entre o Duque de Sabóia com a França; a qual iniciava em Milão e seguia através do vale suíço, por Engadina e Valtellina, no Tirol, seguindo pela fronteira sul da Alemanha, cruzando o Rio Reno, na Alsácia, até chegar na Holanda, por Lorena.

A maior parte do exército de Flandres utilizou o Caminho Espanhol, uma façanha logística impressionante para a época.

Expedições registradas[editar | editar código-fonte]

Expedições registradas entre 1567 e 1593
Ano Comando Efetivo Saída Chegada Dias
1567 Alba 10.000 20/06 15/08 56
1573 Acuña 5.000 04/05 15/06 42
1578 Figueroa 5.000 22/02 27/03 32
1578 Serbelloni 3.000 02/06 22/07 50
1582 Paz 6.000 21/06 30/07 40
1582 Carduini 5.000 24/07 27/08 34
1584 Passi 5.000 26/04 18/06 54
1585 Bobadilla 2.000 18/06 29/08 42
1587 Zúñiga 3.000 13/09 01/11 49
1587 Queralt 2.000 07/10 07/12 60
1591 Toledo 3.000 01/08 26/09 57
1593 México 3.000 02/11 31/12 60

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • García de Cortázar, Fernando (2005). Atlas de Historia de España. Barcelona: Planeta. ISBN 84-08-05752-9.
  • Parker, Geoffrey (2005). El ejército de Flandes y el Camino Español, 1567–1659. Madrid: Alianza. ISBN 84-206-2933-2.
  • Martínez Laínez, Fernando (2007). Una pica en Flandes. La epopeya del Camino Español. Madrid: EDAF. ISBN 8441419476.
  • Roco de Campofrio, Juan (2005). España en Flandes. Barcelona:. ISBN 978-84-85027-11-8.
  • Marrades, Pedro (1943). El camino del Imperio. Madrid: ESPASA CALPE. ISBN 978-84-239-4905-2.
  • Kamen, Henry (2005). El Gran Duque de Alba.. La Esfera de los Libros. ISBN 84-8460-606-6.
  • Albi de la Cuesta, Julio (1999). De Pavía a Rocroi.. Madrid: Balkan Editores. ISBN 84-930790-0-6.

Notas e referências

  1. Fernando Martínez Laínez (2007). Una pica en Flandes: la epopeya del camino español. EDAF. pp. 133–. ISBN 978-84-414-1947-6. Consultado el 26 de noviembre de 2012.